Oficina da Net Logo

Facebook é acusado de dar acesso inadequado aos dados de usuários para fabricantes de dispositivos

O The New York Times fez um relatória que acusa o Facebook de dar acesso aos dados de seus usuários para fabricantes de celulares como Apple e Samsung. Saiba mais.

Por | @ingridjank Facebook

 A rede social mais famosa do momento não está conseguindo manter uma boa impressão ao mundo. Novamente, o Facebook é acusado de compartilhar um grande número de dados de seus usuários, desta vez para fabricantes de smartphones como a Apple, Microsoft, Samsung e BlackBerry.

De acordo com um relatório do jornal americano The New York Times, o Facebook mantém acordos com essas fabricantes citadas, a fim de que os dispositivos criados possam integrar uma funcionalidade de compartilhamento em seus sistemas operacionais. Este acordo existe há 10 anos e faz com que os usuários possam compartilhar qualquer coisa com amigos da rede social sem precisar acessar o site ou o aplicativo do Facebook.

CEO do Facebook dando depoimento ao Congresso Americano. (Foto: Chip Somodevilla/Getty Images)CEO do Facebook dando depoimento ao Congresso Americano. (Foto: Chip Somodevilla/Getty Images)

Leia também:

O problema disso tudo está no uso de dados dos usuários para essas empresas, tudo permitido pelo Facebook para que essa integração funcione. Os dados são fornecidos por meio de APIs privadas. No relatório é dito que o tipo de acesso dado à essas empresas está contra as próprias atuais leis de privacidade da rede social. O Facebook nega que isso tenha acontecido e ainda acrescenta que seus negócios são rígidos quanto ao controle de dados.

Para isso, o Times resolveu dar um exemplo para provar sua afirmação. Utilizando um BlackBerry de 2013, um repórter usou sua conta do Facebook para logar no software proprietário do BlackBerry, o qual apresenta feeds de redes sociais junto de mensagens e e-mail. O resultado mostrou que este software conseguiu apanhar dados de 556 amigos deste repórter, que contém status de relacionamento, posição religiosa e política, e mais as informações de identificação de cerca de 3000.000 de amigos dos amigos dele. 

O acordo pode ter sido feito com “pelo menos 60 fabricantes de dispositivos”, segundo o relatório. Porém, ainda não está claro o nível de acesso de cada fabricante.

Este acordo estaria contrário às próprias leis da rede social, pois a política de privacidade que foi atualizada recentemente não permite que aplicativos de terceiros coletem dados de amigos dos usuários sem um pedido de permissão. O acordo pode ter sido feito com “pelo menos 60 fabricantes de dispositivos”, segundo o relatório. Porém, ainda não está claro o nível de acesso de cada fabricante.

Em sua defesa, o Facebook continua se apoiando no argumento de que esses são negócios necessários, e além disso, quando os usuários fazem o login em aplicativos ou serviços dessas fabricantes, eles possuem uma chance de dizer sim ou não para o compartilhamento de seus dados. A rede social ainda argumenta, em uma comparação deste caso com o escândalo da Cambridge Analytica, que os dois casos são diferentes, pois as grandes empresas de tecnologia são mais seguras do que as empresa de marketing.

Até agora, o Facebook diz estar encerrando este acordo com 22 fabricantes de dispositivos. Ficaremos de olho enquanto isso, para que todos os acordos sejam finalizados. De acordo com o The Verge, está claro que a posição de destaque da empresa na indústria tem sido construída com base nestes acordos.

SHARE
+ Notícias
Assine a nossa newsletter
Comentários