Oficina da Net Logo

WhatsApp poderá contar com anúncios no futuro, sugere executivo

Vale mencionar que já haviam rumores indicando a possibilidade do uso de propagandas, principalmente após a saída do fundador do mensageiro, Jan Koum, do Facebook na última segunda-feira.

Por | @oficinadanet Facebook

Muitos serviços online contam com propagandas com a finalidade de acumular lucros. O WhatsApp, aplicativo de mensagens bastante usado no mundo todo, por enquanto, está isento de qualquer pagamento por parte dos usuários, bem como o oferecimento de anúncios. Situação que poderá mudar no futuro.

Durante o Facebook F8, evento voltado a desenvolvedores que ocorreu nessa semana, a empresa de Mark Zuckerberg também aproveitou para fazer anúncios sobre seus planos. O vice-presidente de produtos de mensagens da empresa, David Marcus, sinalizou que o WhatsApp será “mais aberto” a anunciantes.

Vale mencionar que já haviam rumores indicando a possibilidade do uso de propagandas, principalmente após a saída do fundador do mensageiro, Jan Koum, do Facebook na última segunda-feira.

WhatsApp poderá contar com anúncios no futuro, sugere executivo.WhatsApp poderá contar com anúncios no futuro, sugere executivo.

Leia também:

Em uma entrevista feita durante o F8, David disse ao Closing Bell, da emissora CNBC, que "no que diz respeito à publicidade, estamos definitivamente tornando o WhatsApp mais aberto". “Agora  teremos a capacidade de permitir que empresas maiores, não apenas pequenas empresas, integrem uma nova API [application programming interface] para enviar e receber mensagens com pessoas na plataforma WhatsApp".

Os analistas do Barclays já previam que isso poderia acontecer, sendo que os rumores se intensificaram com a saída de Koum. O WhatsApp, até então, nunca trabalhou com anúncios, e se mantinha através de doações, até 2014, quando acabou sendo adquirido pelo Facebook em uma transação de 19 bilhões de dólares.

"Fomos informados por muitos dos nossos controles nos últimos anos que, uma vez que Jan saia, é quando os anúncios aparecerão", dizem os analistas do Barclays.

Kuom, ao sair do Facebook, não deixou claro os seus motivos. O The Washing Post disse que ele estava "esgotado pelas diferenças de abordagem" com relação a decisões internas do Facebook. 

Bom, até que novas informações não surjam, a dúvida é que fica é como tais anúncios serão anexados ao WhatsApp.

COMPARTILHE
Comentários
Carregar comentários