Terra 2.0? Cientistas encontram água em exoplaneta K2-18b

Um grupo de astrônomos da Universidade de Londres descobriram água na atmosfera de um exoplaneta potencialmente habitável.

Por Ciência Pular para comentários

Há muito tempo se fala em encontrar outros planetas habitáveis, dado os grandes riscos que a vida humana sofre com as atuais mudanças climáticas. E cientistas não param de procurar no nosso vasto universo, os tais exoplanetas habitáveis. Desta vez, os pesquisadores do University College de Londres detectaram vapor de água na atmosfera de um exoplaneta potencialmente habitável, chamado K2-18b, localizado a 110 anos-luz da Terra. A descoberta pode ter grandes implicações na busca de vida fora do sistema solar. A pesquisa foi publicada na revista Nature Astronomy.

"O K2-18b, que é oito vezes a massa da Terra, agora é o único planeta que orbita uma estrela fora do sistema solar, ou 'exoplaneta', conhecido por ter água e temperaturas que podem sustentar a vida", disseram os pesquisadores em comunicado.

"Encontrar água em um planeta potencialmente habitável é incrivelmente emocionante. O K2-18b não é uma 'Terra 2.0', pois é significativamente mais pesado e tem uma composição atmosférica diferente", disse o principal autor do estudo, Angelos Tsiaras, Ph.D. do Center for Space Exochemistry Data da UCL, na declaração. "No entanto, isso nos aproxima de responder uma pergunta fundamental: a Terra é única?"

Terra 2.0? Cientistas encontram água em exoplaneta K2-18b

O K2-18b foi descoberto pelo telescópio espacial Kepler da NASA em 2015. Os dados coletados pelo Telescópio Espacial Hubble entre 2016 e 2017 foram usados ??para estudar a luz das estrelas filtrada na atmosfera do exoplaneta.

"Os resultados revelaram a assinatura molecular do vapor de água, indicando também a presença de hidrogênio e hélio na atmosfera do planeta", afirmou a Universidade de Londres.

Os especialistas acham que as moléculas de nitrogênio e metano podem estar presentes na atmosfera do planeta, mas, nesta fase, são indetectáveis. O K2-18b provavelmente está exposto a mais radiação do que a Terra, como resultado da estrela anã que órbita, de acordo com os pesquisadores.

O projeto de pesquisa recebeu apoio financeiro do Conselho Europeu de Pesquisa e do Conselho de Instalações de Ciência e Tecnologia do Reino Unido, que faz parte do Departamento de Pesquisa e Inovação do Reino Unido.

A secretária de Estado do Reino Unido para negócios, energia e estratégia industrial, Andrea Leadsom, elogiou as descobertas dos pesquisadores. "Essa descoberta feita pelos pesquisadores do Reino Unido é um grande salto e abre um novo mundo de possibilidades", disse ela.

Em um projeto separado, os cientistas recentemente usaram o Satélite de Pesquisa de Exoplanetas em Trânsito da NASA para encontrar um exoplaneta com três sóis vermelhos. Os astrônomos também avistaram recentemente um exoplaneta gigante que, segundo eles, é diferente de qualquer outro.

O planeta HR 5183 b tem três vezes a massa de Júpiter e tem uma órbita incrivelmente longa em forma oval em torno de sua estrela, de acordo com Caltech, que liderou a pesquisa. O planeta leva de 45 a 100 anos para concluir uma orbita.

Compartilhe com seus amigos:
Priscilla Kinast
Priscilla Kinast Estudante de Ciência e Tecnologia na UFRGS - Universidade Federal do RS, apaixonada por inovações tecnológicas, mistérios da ciência, bem como filmes e séries de ficção científica
FACEBOOK // INSTAGRAM: @priscillakinast // TWITTER: @prkinast
Quer conversar com o(a) Priscilla, comente:
Carregar comentários