Índia lança com sucesso a sonda não tripulada Chandrayaan-2 com destino à Lua

Após uma primeira tentativa fracassada na semana passada, nesta segunda-feira (22) a Índia finalmente conseguiu lançar sua sonda Chandrayaan-2 com destino à Lua.

Por Ciência Pular para comentários

A Índia pode ser o quarto país do mundo a pousar na Lua. A sonda não tripulada Chandrayaan-2 (veículo lunar, em sânscrito) foi lançada nesta segunda-feira (22), com destino ao satélite natural da Terra. A missão que sofreu uma "falha técnica" na semana passada, responsável por adiar a missão, parece que deu certo desta vez. A sonda deve demorar cerca de um mês para chegar à órbita da Lua e mais algumas semanas para pousar na superfície.

O foguete GSLV Mark 3, que mede 44 metros de altura, foi lançado às 14h43 (horário local) da plataforma de lançamento do Centro Espacial de Satish Dhawan, no sul da Índia. O lançamento foi exibido ao vivo pela Organização Indiana de Pesquisa Espacial (ISRO, na sigla em inglês).

Decolagem do foguete GSLV Mark 3, levando a sonda Chandrayaan-2Decolagem do foguete GSLV Mark 3, levando a sonda Chandrayaan-2

"É o início de uma jornada histórica da Índia em direção à Lua, e a aterrissar em um lugar próximo ao pólo sul", disse Kailasavadivoo Sivan, presidente da Organização de Pesquisas Espaciais da Índia (ISRO), durante um discurso após o lançamento da sonda. 

Sonda indiana Chandrayaan-2 vai procurar por gelo e água na Lua

Se tudo correr bem, o módulo de aterrissagem de 1,4 tonelada, apelidado de Vikram, pode ser o primeiro objeto do país a pousar suavemente na superfície lunar. A sonda lançará então um robô móvel de cerca de 25 kg, que explorará a área próxima ao pólo sul da Lua.

O rover passaria duas semanas explorando ativamente a superfície para procurar vestígios de gelo de água - uma pesquisa crucial para futuras missões à Lua. O alcance total do rover é de 500 metros, e uma vez que o Sol se ponha na superfície lunar - lembre-se que um dia na Lua dura quase 30 dias na Terra - o rover perderá sua única fonte de energia, e será aposentado.

A missão, que custou aos cofres indianos 142 milhões de dólares, pode transformar a Índia no quarto país que chegou à Lua - hoje os países que compõe essa lista são Rússia, Estados Unidos e China - e o primeiro país a pousar no polo sul da Lua.

Compartilhe com seus amigos:
Priscilla Kinast
Priscilla Kinast Estudante de Ciência e Tecnologia na UFRGS - Universidade Federal do RS, apaixonada por inovações tecnológicas, mistérios da ciência, bem como filmes e séries de ficção científica
FACEBOOK // INSTAGRAM: @priscillakinast // TWITTER: @prkinast
Quer conversar com o(a) Priscilla, comente:
Minha foto