Oficina da Net Logo

Júpiter ganha 12 novas Luas

O Minor Planet Center, da União Astronômica Internacional, após as observações, foi o responsável por calcular as órbitas dos corpos celestes recém-descobertos.

Por | @oficinadanet Ciência Pular para comentários

Entre os planetas do Sistema Solar, Júpiter sempre foi campeão em número de Luas. Nesta terça-feira foi anunciado que o planeta ganhou mais 12 satélites, com isso, um somatório de 79 Luas.

O conjunto foi avistado pela primeira vez pelos astrônomos do Instituto Carnegie, de Washington D.C. (EUA), em 2017. Porém, somente agora ocorreu a comprovação definitiva do fato.

Júpiter ganha 12 novas Luas.Júpiter ganha 12 novas Luas.

Leia também: Leia em destaque: Smoot, a piada que virou uma medida do Google.

A descoberta astronômica aconteceu por acidente. Os cientistas estavam em busca de objetos distantes do Sistema Solar, porém, perceberam corpos celestes gravitando ao redor de Júpiter.

"Procurávamos planetas além de nosso Sol. Como Júpiter estava 'perto' dos campos de busca, acabamos sendo capazes de procurar por novas Luas a seu redor", explica o astrônomo Scott Sheppard.

Entre os planetas que mais possuem Luas do Sistema Solar, Saturno aparece na segunda posição, com 62 satélites. Urano possui, até o momento, 27 Luas conhecidas. Netuno, 14; Marte, 2; e a Terra, uma Lua. Mercúrio e Vênus não contam com satélites naturais.

O Minor Planet Center, da União Astronômica Internacional, após as observações, foi o responsável por calcular as órbitas dos corpos celestes recém-descobertos.

"O processo todo levou um ano. Já que são realizadas várias observações antes de confirmar se um objeto realmente orbita em torno de Júpiter", explica o astrofísico Gareth Williams, diretor do centro de pesquisa.

Entre as 12 novas Luas, nove delas integram um grupo distante que orbita em sentido oposto à rotação do planeta. Estes satélites levam aproximadamente dois anos para conseguirem dar uma volta completa em Júpiter.

Já, dois dos satélites recém-descobertos giram no mesmo sentido que a rotação de Júpiter. O percurso total leva menos de um ano.

"Por fim, a última descoberta é de um corpo celeste excêntrico, que tem uma órbita diferente de todas as outras Luas jupiterianas", diz Sheppard. "Trata-se ainda da menor Lua conhecida de Júpiter, com menos de um quilômetro de diâmetro”.

Conforme os astrônomos, a rota irregular dos satélites irá acarretar em uma colisão, causando uma enorme explosão que poderá ser vista da Terra. Isso tudo deverá levar bilhões anos.

MAIS SOBRE: #Jupiter  #planetas  #Sistema-Solar  #Luas
Comentários
Carregar comentários