Físicos cogitam a possibilidade de uma nova partícula

A descoberta ainda precisa ser completamente confirmada, mas os investigadores do Tevatron estão trabalhando o mais rápido possível com as informações que possuem.

Por | @oficinadanet Ciência

Caso consigam provar sua existência, será uma partícula completamente nova e imprevista. Infelizmente, os pesquisadores dizem que não é o famoso bóson de Higgs. Poderia também representar uma nova força fundamental da natureza e a mudança mais radical na física em décadas.

A equipe do Tevatron estava analisando dados de colisões entre prótons e seus correspondentes antiprótons. Nestas colisões, partículas conhecidas como bósons W são criadas junto a um par de “jatos” de outras partículas. E foi em um destes jatos que uma elevação inesperada nos gráficos gerados pelos dados do time apareceu, o que poderia representar uma partícula que o conhecimento atual do zoológico de partículas subatômicas, o Modelo Padrão, não inclui.


“Só o tempo ira dizer”


“Quando você olha para os dados eles não estão em desacordo com o modelo padrão, na verdade é uma suave elevação no gráfico de distribuição que parece exatamente com o tipo de elevação que você encontraria se uma nova partícula fosse criada nesse processo”, disse Dan Hooper, um físico teórico do Fermilab que não estava envolvido com a pesquisa.
Físicos cogitam a possibilidade de uma nova partícula

De qualquer modo, o resultado é classificado como nível de certeza “três-sigma”. Isso significa que existem ainda 10% de chance do resultado ser atribuído apenas a alguma flutuação dos dados. Para se anunciar uma descoberta formal o nível de certeza do experimento é tradicionalmente o “cinco-sigma”, ou seja, a possibilidade do resultado ser um golpe de sorte é de um em um milhão.

O resultado vem de dados colhidos por um dos dois detectores do Tevatron, chamados CDF e DZero.“Mesmo que o acelerador não funcione por mais nenhum dia, eles têm aproximadamente duas vezes mais dados que no primeiro dos dois experimentos e se incluirmos o detector DZero então teremos quatro vezes mais dados”, ele disse ao BBC News.

Isso significa que confirmar totalmente o resultado é questão de trabalhar com os números que a equipe do Tevatron possui. Mais adiante, os experimentos que serão feitos no LHC poderão conseguir mais dados para confirmar ou refutar a nova partícula. Tudo que está claro é que a elevação no gráfico definitivamente não representa a desaparecida estrela da física de altas energias, o bóson de Higgs.

“Se o resultado é real, isso seria muito mais emocionante que o bóson de Higgs do modelo padrão ou qualquer tipo de partícula de Higgs”, disse Tony Widberg, físico da Universidade de Oxford que trabalha no detector do LHC conhecido como Atlas. De qualquer modo, ele disse ao BBC News que não acha essa evidência muito convincente, mas repete que uma resposta definitiva pode vir em breve. “Eu estou nessa área há 30 anos e todo ano achamos alguns desses resultados “três-sigma”, eles vêm e vão constantemente. Só o tempo ira dizer.”
Dr Hooper é o mais otimista em relação ao resultado atual. “Existe uma chance de 0,1% de o resultado ser apenas sorte”, ele diz. “Essa é a notícia mais emocionante, sobre física, da minha vida”.

Se for verdade, Dr Hooper acredita que a misteriosa partícula representa uma força fundamental não descoberta. “Nós, em essência, estamos falando que há uma nova força da natureza, comunicando-se através dessa misteriosa partícula. Nós sabemos que existem quatro forças: eletromagnetismo, gravidade, e as forças nucleares forte e fraca. Se essa fosse a quinta seria interessante pois todos os estudantes de física precisariam trocar seus livros.”

Texto traduzido e adaptado do site: http://www.bbc.co.uk/news/science-environment-13000253

Mais sobre: ciência tevatron física
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo