Como saber se o MBA é falso ou verdadeiro

A falta de uma legislação brasileira específica que defina o que é um Master in Business Administration (MBA) fez com que o número de cursos com essa nomenclatura proliferasse no País, apesar de não existir um levantamento exato, justamente devido à falta de controle desses programas.

Por | @oficinadanet Carreira em TI

A falta de uma legislação brasileira específica que defina o que é um Master in Business Administration (MBA) fez com que o número de cursos com essa nomenclatura proliferasse no País, apesar de não existir um levantamento exato, justamente devido à falta de controle desses programas.

Como não há no País uma explicação exata do que seja um MBA, o curso pode ser qualificado como uma pós-graduação lato sensu, ou seja, ele é uma especialização, explica Silene Magalhães, gerente coordenadora da pós-graduação da Fundação Dom Cabral, cujo MBA ocupa a sexta posição do ranking da Financial Times, o mais importante da categoria.

Mestres - "O MBA surgiu nos Estados Unidos como um mestrado em administração, isto é, um programa strictu sensu, que tem um rigor em carga horária e na avaliação. Esse programa forma mestres", explica.

De acordo com Silene, como esses cursos não são considerados mestrados, é o Ministério da Educação (MEC) quem os regulamenta, por isso, são considerados pós-graduação lato sensu. "O mercado também contribuiu para confundir os alunos. As instituições intitulam os programas como sendo MBA, quando, na verdade, são cursos de especialização", diz.

Questão de mercado - Marta Fanchin, diretora dos cursos de pós-graduação da Uninove, afirma que o MBA é uma denominação do mercado. "No MEC é como se fosse uma pós-graduação. Os cursos tratam do que é mais atual no mercado de trabalho."

Apesar de a diretora ter a sua razão, Silvio Laban, coordenador dos MBAs Executivos do Insper, de São Paulo, comenta que os MBAs de fato são programas voltados para pessoas que já têm experiência profissional e não para aquelas que acabaram de sair da faculdade.

"Para ingressar em um curso desses, são requeridos experiência e certas competências como liderança, por exemplo. Como o aluno vai trabalhar essa questão se não tem equipe? Além disso, uma vez que o MBA é concluído, o profissional leva consigo todo o relacionamento que desenvolveu no curso. Por isso, para existir uma troca, um networking relevante, esse aluno também tem de ter o que compartilhar", avalia.

Pesquisa - Para Laban, mesmo que no Brasil não haja um órgão regulamentador dos MBAs, os alunos têm outras ferramentas para analisar se o curso segue padrões internacionais de qualidade. "Uma alternativa é olhar quem é essa instituição, como ela é avaliada pelo mercado, pelos órgãos regulatórios e quem são os seus ex-alunos."

Silene Magalhães acrescenta que o curso também pode ser avaliado por sua carga horária e pelo quadro docente. "Para ser um MBA sério, a carga horária deve ser bem superior às 360 horas pedidas pelo MEC e a maior parte dos professores deve ter mestrado ou doutorado."
Selo de qualidade - Laban diz ainda que os interessados podem verificar a qualidade dos cursos em entidades como a brasileira Associação Nacional de MBAs (Anamba) ou a internacional Association of MBAs (Amba). "Essas associações têm critérios específicos do que seja um MBA."

Mauricio Jucá de Queiroz, professor da Fundação Instituto de Administração (FIA), uma das instituições associadas à Anamba, afirma que um dos requisitos para ser MBA é contemplar disciplinas como Ética e Responsabilidade Social em Organizações e no Ambiente Social; Teorias, Análises, Relatórios e Mercados Financeiros; Gestão de Operações; Gestão de Pessoas e Comportamento Organizacional; Teoria da Decisão e Análise Estatística; Tecnologias de Informação; Teorias econômicas; Marketing e Estratégia.

"Muitos cursos que utilizam a sigla não oferecem tais disciplinas, portanto não garantem ao aluno uma formação abrangente para dirigir uma organização. São cursos de especialização em áreas da Administração, porém há casos mais graves, de cursos em outras áreas de conhecimento e que se apropriam dessa sigla devido à importância que ela traz para o profissional que deseja aprimorar sua formação. Podem ser bons cursos, mas seu conteúdo não assegura a capacitação necessária para o indivíduo dirigir uma instituição pública, privada ou do terceiro setor", avalia Queiroz.

No Brasil, existe também o ranking da Editora Abril feito pela revista Você S/A que elenca as escolas que têm MBAs de fato, aponta Silene. Segundo consta, Fundação Dom Cabral, Fundação Getulio Vargas, Insper e Fundação Instituto de Administração são as escolas que aparecem na lista. As mesmas entidades aparecem também como acreditadas pela Amba.

Fonte: IG

Mais sobre: empreendedorismo dica mba
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo