Tipos de Aplicações e Tecnologias no Comércio Eletrônico

Investir em uma aplicação de comércio eletrônico é uma decisão difícil, começando pelos recursos de software e hardware que precisam ser mais sofisticados que no comércio tradicional. Por isso serão descritas os tipos de aplicações e as tecnologias mais utilizadas no comércio eletrônico.

Por | @irialuppi Marketing Digital
Investir em uma aplicação de comércio eletrônico é uma decisão difícil, começando pelos recursos de software e hardware que precisam ser mais sofisticados que no comércio tradicional. Por exemplo, softwares especializados que possibilitam a realização de pedidos diretamente pelos clientes e o gerenciamento de todos os processos do negócio, como  divulgação,  promoção,  venda e entrega etc.

Ao adquirir uma aplicação web para o comércio eletrônico um empreendedor deve decidir entre duas opções:

1) Aplicação Pronta: já são prontas e utilizadas por milhares de clientes, apenas são feitos ajustes de acordo com a necessidade de cada cliente. Para uma empresa adquirir uma aplicação web pronta custa em torno de oito mil reais, o tempo é só para implantação, ajustes e testes. Estas são mais utilizadas por pessoas que não trabalham com programação, apenas tem conhecimento em informática e acesso a internet. Temos como exemplo UOL (www.uol.com.br), LocaWeb (www.locaweb.com.br) , Mecado Livre (www.mercadolivre.com.br) e outros.

2) Aplicação Personalizada: não tem nem projeto, são feitas “sob-medida” sob um estudo realizado na empresa. O custo da personalizada vai para 40 mil reais, sendo necessário de 4 a 5 meses para o desenvolvimento, mais o tempo de testes e ajustes necessários.

Uma diferença que muitas vezes confunde o empreendedor na hora de montar a sua aplicação além do preço, é que a aplicação pronta já foi testada já sabe atrair o cliente, já a personalizada pode não ter o mesmo sucesso e desempenho e quanto maior funcionalidade tiver a aplicação pronta ou personalizada, mais cara ela será. Também deve ser considerado o custo do projeto para aquisição do sistema, hardware, hospedagem da loja, que geralmente varia de 25 a 30 reais dependendo do provedor.  A manutenção do domínio de 30 a 50 reais mensais e o seguro do site se usar cartão de crédito, este depende do fornecedor, mas geralmente é em torno de 295 reais. No momento que o serviço é contratado deve-se questionar o fornecedor ou desenvolvedor da aplicação sobre manuais e suporte ao usuário, principalmente o horário de atendimento.

No momento em que uma aplicação é entregue ela deve estar pronta para inserir preços, produtos, subprodutos, departamentos, descrições de produtos, formas de entrega e é claro começar a vender. Quando começar vender aparecerão novos custos como:

• Custo da entrega de mercadorias: processo de embalar, despachar e colocar a mercadoria na mão do cliente com segurança e no prazo contratado. Este tipo de custo envolve as características do produto, peso, dimensão e perecividade, endereço do cliente, agências de entrega etc;

• Custo financeiro: ainda a maioria dos produtos são pagos por meio de boleto bancário ou cartão. O custo para cada boleto pago no banco gira em torno de 2 reais, e por meio de cartão de crédito, a loja paga uma taxa mensal ao redor de 50 reais mais 4,5% do valor de cada transação.

Para quem atua no comércio tradicional, utilizar a Internet já se tornou uma necessidade, basta visitar os sites das empresas, às vezes bem simples, mas com funcionalidades como: catálogos eletrônico de produtos, e melhor relacionamento com clientes, fornecedores, funcionários ou distribuidores.

Optar por uma aplicação web de comércio eletrônico gera grandes mudanças na infra-estrutura tecnológica da empresa. Por exemplo, processos de negócios, que antes demandavam uma grande estrutura de hardware e software, passam a ser realizados em ambiente web de maneira mais eficiente e simples, e com menos equipamentos, mas com melhor tecnologia e menor custo.

Torna-se indispensável planejar o negócio na web. Para quem já possui basta atualizá-lo com freqüência, mas se não possuir, quanto melhor for planejado melhor será sua aceitação. Pode no inicio não der certo, mas o importante é não desistir, basta procurar ajuda dos profissionais web, tentar fazer parcerias com as empresas já existentes no mesmo ramo comercial, ou ainda descobrir um novo nicho de mercado, assim talvez o sucesso de uma pequena empresa possa ser maior que uma já existente. Fazendo ainda uma comparação, na vida real bares e fruteiras eles não fecham porque existe um grande supermercado na cidade.

Pode se dizer que a diferença entre preços  no comércio eletrônico e no tradicional, por um lado é viável, devido à eliminação dos intermediários da cadeia de suprimento, mas  se formos pensar no frete em algumas localidades acaba se tornando mais caro.

A mudança comercial de loja tradicional para o ambiente eletrônico,  pode exigir  a troca de funcionários, além de diminuir o número destes. Há necessidade de poucos funcionários, estes devem ser capacitados e ter experiência no ambiente web.

Independente do tipo de aplicação , isto é se for  pronta ou personalizada existem diversas opções de tecnologias,  entre as tecnologias mais utilizadas no desenvolvimento das ferramentas de comércio eletrônico estão:

Banco de Dados

• PostgreSQL
• MySQL
• Access
• Firebird
• Sql Server

Linguagens de Programação

• PHP
• JavaScript
• Ajax
• HTML (com CSS)
• DHTML
• Java
• Perl
• ASP
• Flex

Também independente se a  aplicação  for  pronta ou personalisada , o cliente precisa de uma interface fácil e simples. Outro  aspecto interessante é que na Internet a marca de uma empresa é chamada DOMINIO. É uma das primeiras e difíceis escolhas a se fazer antes de iniciarem os negócios na rede, é a marca da empresa na mente do consumidor. Pode ser comparado ao nome de uma loja no comércio tradicional, mas merece mais ênfase, pois é a chave que abre a porta da empresa para o cliente, pois para acessar o site o cliente deve conhecer o endereço (domínio).

Por isso na escolha do nome do seu site de comércio eletrônico,se não  tiver um estabelecimento comercial para que possa  utilizar o mesmo nome, procure ser o mais criativo possível.

Mais sobre: comércio eletrônico tecnologias
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo