Seu iPhone pode ser hackeado?

Embora o iPhone seja conhecido por ser seguro, a verdade é que nenhum dispositivo é perfeito quando se trata de segurança.

Foto: Priscilla Kinast / Redação Oficina da Net
Foto: Priscilla Kinast / Redação Oficina da Net

O iPhone ganhou reputação como um dispositivo focado em segurança graças (em parte) ao controle de ferro da Apple sobre o ecossistema. No entanto, nenhum dispositivo é perfeito quando se trata de segurança. É lógico que isso pode ser um assunto de preocupação legítima, já que você provavelmente tem todo tipo de informações confidenciais no seu iPhone, como dados de cartão de crédito ou conta bancária, fotos pessoais, entre outros dados. Neste artigo, explicaremos a probabilidade de um iPhone ser hackeado e se é algo que você precisa se preocupar.

É possível hackear um iPhone?

A resposta é sim, certamente é possível hackear um iPhone. Antes de entrar em pânico, porém, você deve entender que um hacker altamente qualificado poderia invadir a maioria dos dispositivos eletrônicos se ele tiver tempo e determinação para isso. Não necessariamente seu iPhone está em risco. Isso porque, de todos os celulares do mercado, os iPhones e os produtos da Apple desfrutam da reputação de estar entre os mais seguros.

Também cabe mencionar que se você tomar as precauções adequadas, um hacker de habilidade média provavelmente não vai conseguir invadir o seu iPhone. Um hacker vai achar uma tarefa muito difícil, e vai preferir ir atrás de presas mais fáceis, especialmente os smartphones Android.

Se um dos dez maiores hackers do mundo estava pronto para invadir seu iPhone, você pode ter motivos para se preocupar. Realisticamente, porém, isso provavelmente não é algo que está prestes a acontecer.

Como um iPhone pode ser hackeado?

Seu iPhone tem um software, assim como qualquer outro dispositivo eletrônico. Esse software passa por testes rigorosos, então quando a Apple o lança no mercado uma nova versão do iOS, as chances de vulnerabilidades são poucas.

Ainda assim, você precisa manter seu smartphone atualizado com a versão mais recente do iOS, o sistema operacional universal que a Apple usa em seus dispositivos. Ao fazer isso, você protegerá o dispositivo contra quaisquer bugs ou falhas que a Apple detectou.

Jailbreak deixa o iPhone suscetível a hackers

Uma das maneiras mais comuns de que os iPhones podem ser hackeados é se você fez o "jailbreak". Jailbreak é uma alteração no sistema operacional do iPhone que as pessoas usam para poder executar aplicativos não-aprovados pela Apple no dispositivo.

Ao alterar o código do dispositivo, ele lhe dá alguma flexibilidade nesta área, mas também abre você para ataques hackers. Um iPhone que sofreu jailbreak é muito mais suscetível a um hacker.

Seu iPhone não pode ser usado remotamente

A Apple não permite que ninguém controle remotamente um iPhone através de aplicativos de acesso remoto, como o TeamViewer. Enquanto o macOS envia um servidor VNC (Virtual Network Computing, computação de rede virtual) instalado que permite que seu Mac seja controlado remotamente se você habilitá-lo, o iOS não.

Isso significa que você não pode controlar o iPhone de alguém sem jailbreak. Existem servidores VNC disponíveis para iPhones com jailbreak que permitem essa funcionalidade, mas se o sistema iOS não foi modificado, isso é impossível.

O iOS usa um sistema de permissões robusto para conceder aos aplicativos acesso explícito a determinados serviços e informações. Quando você instala um novo aplicativo, muitas vezes você é solicitado a conceder permissão para serviços de localização ou a câmera iOS. Os aplicativos literalmente não podem acessar essas informações sem sua permissão explícita.

Não há nenhum nível de permissão disponível no iOS que conceda acesso total ao sistema. O software é selado do resto do sistema em um ambiente seguro de "sandbox". Isso impede que aplicativos potencialmente prejudiciais afetem o sistema, incluindo limitar o acesso a informações pessoais e dados de aplicativos.

Você deve sempre ter cuidado com as permissões que você concede a um aplicativo. Por exemplo, um aplicativo como o Facebook quer acesso aos seus contatos, mas não exige que isso funcione. Uma vez que você concede acesso a essas informações, o aplicativo pode fazer o que quiser com esses dados, incluindo carregá-los em um servidor privado e armazená-los para sempre. Isso pode violar o contrato de desenvolvedor da Apple e da App Store, mas ainda é tecnicamente possível para um aplicativo fazê-lo.

Embora seja normal se preocupar com ataques em seu dispositivo de fontes nefastas, você provavelmente está mais em risco de dar suas informações pessoais para um aplicativo "seguro" que simplesmente pediu educadamente. Revise as permissões do aplicativo do iPhone rotineiramente, e sempre pense duas vezes antes de concordar com as exigências de um aplicativo.

Apple ID e segurança do iCloud

Seu Apple ID (que é sua conta do iCloud) é provavelmente mais suscetível a interferências externas do que o seu iPhone. Você deve primeiramente usar a autenticação de dois fatores (2FA) no seu Apple ID.

Para ter certeza se a 2FA está habilitada, acesse o Menu Ajustes > clique em [Seu Nome] > Senha e Segurança em seu iPhone. Toque em "Ativar autenticação de dois fatores" para configurá-lo.

ID Apple, iCloud, Midia e Compras > Senha e Segurança > Autenticação em Dois Fatores > Ativada.
ID Apple, iCloud, Midia e Compras > Senha e Segurança > Autenticação em Dois Fatores > Ativada.

No futuro, sempre que você fizer login na sua conta Apple ID ou iCloud, você precisará inserir um código enviado para o seu dispositivo ou número de telefone. Isso impede que alguém entre na sua conta, mesmo que a pessoa saiba sua senha.

No entanto, mesmo o 2FA é suscetível a ataques de engenharia social. A engenharia social tem sido usada para transferir um número de telefone de um SIM para outro. Isso poderia entregar a um suposto "hacker" a peça final do quebra-cabeça para toda a sua vida online, se o criminoso já tiver sua senha de e-mail.

Isso não é uma tentativa de assustá-lo ou deixá-lo paranoico. No entanto, qualquer coisa pode ser hackeada se dado tempo e engenhosidade suficientes. Você não deve se preocupar excessivamente com essas coisas, mas esteja ciente dos riscos e permaneça vigilante.

Pode ter software espião no iPhone?

Uma das coisas mais próximas de um hack para afetar os proprietários de iPhone é o chamado software espião. Esses aplicativos se aproveitam da paranoia e do medo, convidando as pessoas a instalar softwares de monitoramento em dispositivos. Estes são comercializados para pais preocupados e cônjuges suspeitos como uma maneira de acompanhar a atividade de outra pessoa no iPhone.

Esses aplicativos não podem funcionar no iOS, então eles exigem que o dispositivo tenha jailbreak primeiro. Isso abre o iPhone para mais manipulação, problemas de segurança escancarado e possíveis problemas de compatibilidade de aplicativos, já que certos aplicativos não funcionarão em dispositivos com jailbreak.

Depois que o dispositivo sofre o jailbreak, e o serviço de monitoramento é instalado, as pessoas podem espionar dispositivos individuais a partir de painéis de controle web. Essa pessoa verá cada mensagem de texto enviada, os detalhes de todas as chamadas feitas e recebidas, e até mesmo novas fotos ou vídeos tirados com a câmera.

Wi-Fi ainda pode estar vulnerável

Independentemente de qual dispositivo você está usando, redes sem fio não suspensas ainda representam uma das maiores ameaças à segurança dos dispositivos móveis. Os hackers podem (e fazem) ataques para configurar redes sem fio falsas e inseguras, a fim de capturar o tráfego.

Analisando esse tráfego, um hacker pode ser capaz de ver as informações que você está enviando e recebendo. Se essas informações não forem criptografadas, você pode estar expondo senhas, credenciais de login e outras informações confidenciais.

Seja inteligente e evite usar redes de Wi-Fi públicas e desconhecidas. Para obter a melhor tranquilidade, criptografe o tráfego do seu iPhone com uma VPN.

🔥O POCO F4 É MUITO BOM 👇

Comentários
Minha foto
Insira um comentário