YouTube planeja chamar mais usuários para seu serviço pago ao colocar mais anúncios irritantes

YouTube vai utilizar estratégias para "frustrar e seduzir" os usuários a fim de vender mais assinaturas do seu novo serviço de streaming de músicas.

Por Youtube Pular para comentários
YouTube planeja chamar mais usuários para seu serviço pago ao colocar mais anúncios irritantes

Assim como a abordagem do Spotify, o YouTube resolveu colocar ainda mais anúncios considerados chatos entre as músicas, para fim de fazer os usuários pagarem pelo serviço de música por assinatura da empresa. O serviço deve se chamar Remix e está para chegar neste ano.

O serviço une o serviço de assinatura de vídeo YouTube Red com o Google Play Music. Essa nova proposta serve para oferecer música e vídeo em um só lugar, com intenção de simplificar a série de produtos de streaming confusas do YouTube que ao longo dos anos foram renomeadas e relançadas.

YouTube Red (foto: The Verge)YouTube Red (foto: The Verge)

Para aqueles que utilizam a plataforma diariamente para escutar músicas ou assistir videoclipes, vai encontrar mais anúncios irritantes, até no meio dos vídeos. Segundo Lyor Cohen, diretor global de música da empresa: "você não vai ficar feliz depois de tocar ?Starway to Heaven? e ganhar um anúncio logo depois disso", disse ele em uma entrevista no South by Southwest Music Festival.

O YouTube sempre causou contestação diante do dano que a plataforma causa na indústria fonográfica, e sobre isso eles estão empenhados a mostrar que querem fazer as pessoas pagarem pela música. Esse assunto é pauta das gravadoras, que criticam a plataforma por hospedar vídeos que violam os direitos autorais e não pagam devidamente o valor para artistas e gravadoras.

A empresa também quer equilibrar o contrapeso à crescente influência do Spotify e da Apple Inc, que são os principais serviços de música on-line do momento, e geram uma receita significativa para a indústria. Segundo Cohen, o YouTube gerou uma receita estimada em US $ 10 bilhões no ano passado, tudo graças à publicidade. A ideia da empresa é que com a venda de assinaturas, eles poderiam ganhar ainda mais.

O diretor quer fazer dar certo desta vez, já que antes de sua chegada, o YouTube havia tentado vender seus serviços de música paga com pouco a mostrar. Lyor Cohen conta com 30 anos trabalhando em gravadoras, e já foi gerente de estradas para o Run-DMC e executivo sênior do Warner Music Group.

Cohen garante que desta vez será diferente e que o novo serviço, já usado por funcionários do Google, pretende "frustrar e seduzir" os usuários do serviço gratuito do YouTube. O serviço pago vai incluir vídeos exclusivos, playlists e outras ofertas feitas para agradar o público amante da música. As informações são do The Verge e Bloomberg.

 

Compartilhe com seus amigos:
Ingrid Jank
Ingrid Jank Jornalista formada pela Universidade de Santa Cruz do Sul. Apaixonada por cinema, literatura e música.
FACEBOOK // TWITTER: @ingridjank
Quer conversar com o(a) Ingrid, comente:
Carregar comentários
Últimas notícias