Oficina da Net Logo

Os diferentes formatos de arquivo de música explicados 

Se você é um audiófilo, ou apenas fã de uma qualidade maior de som, certamente deve se perguntar qual o melhor tipo de arquivo de áudio para usar. Neste artigo você vai entender as diferenças entre os diversos tipos de áudio e saber qual o melhor para você usar.

Por | @oficinadanet Tecnologia 4 comentários

A maioria dos dispositivos é capaz de reproduzir uma grande variedade de formatos de mídia digital, muitas vezes sem qualquer atualização de software ou firmware necessária. Se você folhear o manual do produto, ficará surpreso com quantos tipos de arquivo de música diferentes existem. Mas, o que os torna diferentes um do outro, e isso tem importância? 

Quando se trata de música digital, o formato realmente importa? A resposta é: depende do caso.  Há arquivos de áudio compactados e descompactados, que podem ter uma qualidade com perdas ou sem perdas.  

Arquivos sem perdas podem ser enormes em tamanho, mas se você dispões de um amplo armazenamento (por exemplo, um PC ou notebook, unidade de armazenamento de rede, servidor de mídia etc.) e você possuir equipamentos de áudio de última geração, há benefícios em usar áudio não-comprimido ou sem perdas.  

Mas, se o espaço for valioso, como em smartphones, tablets e players portáteis, ou se você planeja usar fones de ouvido ou alto-falantes básicos, os arquivos compactados, de menor tamanho, são realmente tudo o que você precisa.  Leia em destaque: Entenda as diferenças entre as lentes de uma câmera fotográfica.

Formatos de arquivo de música explicados 

Então, como escolher? Aqui está um detalhamento dos tipos de formato comuns, algumas de suas características importantes e os motivos pelos quais você os usaria. 

MP3

Projetado pelo Moving Pictures Experts Group (MPEG), uma organização que desenvolve padrões para programas de áudio e vídeo codificados, o MPEG-1 / MPEG-2 Layer 3 (MP3) é sem dúvida o tipo de arquivo de áudio mais comum e apoiado. 

O MP3 é um formato de áudio comprimido e com perdas, com taxas de bits variando entre 8 kbit / s até um máximo de 320 kbit / s, e freqüências de amostragem variando de 16 kHz a um máximo de 48 kHz. Os tamanhos de arquivo menores de MP3s tem como vantagem as transferências de arquivos mais rápidas, e menos espaço usado, mas com o custo de alguma redução na qualidade do som quando comparado aos formatos de arquivo sem perdas. 

AAC

Popularizado pela Apple iTunes, o formato Advanced Audio Coding (AAC) é semelhante ao MP3, mas com um benefício adicional de maior eficiência. 

O AAC é um formato de áudio comprimido e com perdas, com taxas de bits variando entre 8 kbit / s até um máximo de 320 kbit / s e frequências de amostragem variando de 8 kHz a um máximo - com o processo de codificação correto - de 96 kHz. 

Os arquivos AAC podem oferecer a mesma qualidade de áudio de um MP3, ocupando menos espaço. O ACC também suporta até 48 canais, enquanto a maioria dos arquivos MP3 pode lidar com apenas dois. O AAC é amplamente compatível, mas não limitado, a dispositivos de jogos portáteis iOS, Android e portáteis. 

WMA

Desenvolvido pela Microsoft como concorrente do MP3, os arquivos do Windows Media Audio oferecem uma experiência semelhante, embora proprietária. O WMA padrão é um formato de áudio compactado e com perdas, embora as subversões mais novas e distintas com codecs mais avançados possam oferecer uma opção sem perdas. 

Embora muitos tipos de mídia portátil e players de entretenimento doméstico suportem arquivos WMA como padrão, poucos dispositivos móveis, como smartphones e tablets fazem isso. Muitos exigem o download de um aplicativo compatível para reproduzir áudio WMA, o que pode torná-lo menos conveniente para usar, em comparação ao MP3 ou ao AAC. 

FLAC

Desenvolvido pela Fundação Xiph.Org, o Free Lossless Audio Codec (FLAC) tem muito apelo por causa de seu licenciamento livre de royalties e formato aberto. 

O FLAC é um formato de áudio compactado e sem perdas, com qualidade de arquivo capaz de atingir até 32 bits / 96 kHz (em comparação, um CD é de 16 bits / 44,1 kHz).  

O FLAC aproveita a vantagem de um tamanho de arquivo reduzido (cerca de 30 a 40% menor que os dados originais) sem sacrificar a qualidade de áudio, o que o torna um meio ideal para arquivamento digital (ou seja, usá-lo como cópia mestre para criar arquivos comprimidos / com perdas para audição geral). 

ALAC

A versão da Apple do FLAC, o Apple Lossless Audio Codec (ALAC) compartilha muito em relação à qualidade de áudio e ao tamanho do arquivo FLAC. O ALAC é um formato de áudio compactado e sem perdas. Também é totalmente suportado por dispositivos iOS e iTunes, enquanto o FLAC pode não é suportado pelos dispositivos da Apple. Como tal, o ALAC seria mais comumente usado por aqueles que usam produtos da Apple. 

WAV

Também desenvolvido pela Microsoft, o Waveform Audio File Format é um padrão para sistemas baseados no Windows, e compatível com uma variedade de aplicativos de software. 

O WAV é um formato de áudio não compactado (mas também pode ser codificado como comprimido) e sem perdas, essencialmente uma cópia exata dos dados de origem.  

Arquivos individuais podem ocupar uma quantidade significativa de espaço, tornando o formato mais ideal para arquivamento e edição de áudio. Os arquivos de áudio WAV são semelhantes aos arquivos de áudio PCM e AIFF. 

AIFF

Também desenvolvido pela Apple, o formato de arquivo de intercâmbio de áudio (AIFF) é um padrão para armazenar áudio em computadores Mac. 

AIFF é um formato de áudio não compactado e sem perdas (há também uma variante compactada). Como o formato de arquivo WAV da Microsoft, os arquivos AIFF podem ocupar muito espaço de armazenamento digital, tornando-o ideal para arquivamento e edição. 

PCM

O PCM é um formato de áudio descompactado e sem perdas, muitas vezes atuando como os dados de origem para a criação de outros tipos de arquivos de áudio.  

Usado para representar digitalmente sinais analógicos, o Pulse Code Modulation (PCM) é o formato de áudio padrão para CDs e também para computadores e outras aplicações de áudio digital. 

Então, qual formato de música você deve usar? 

Para a maioria das pessoas, a decisão é bem fácil: 

  • Se você estiver capturando e editando áudio bruto, use um formato descompactado e sem perdas. Desta forma, você está trabalhando com a mais verdadeira qualidade de áudio possível. Quando terminar, você pode exportar para um formato compactado. 
  • Se você estiver ouvindo música e quiser uma representação de áudio fiel, use compactação de áudio sem perdas. É por isso que os audiófilos sempre preferem álbuns FLAC em vez de álbuns de MP3. Note que você precisará de mais espaço de armazenamento para eles. 
  • Se você quer apenas uma qualidade da música "boa o suficiente", se o seu arquivo de áudio não tiver música, ou se você precisar economizar espaço em disco, use a compressão de áudio com perdas. A maioria das pessoas não consegue distinguir entre a diferença do arquivo compactado (com perdas) e o descompactado (sem perdas). 

Para aqueles que querem qualidade máxima na reprodução de músicas, observe que arquivos de áudio de alta qualidade não são relevantes quando o dispositivo de reprodução não puder recriar fielmente esses sons. Significado, você precisa ter alto-falantes de boa qualidade ou fones de ouvido de boa qualidade para conseguir aproveitar uma maior qualidade de som. 

Comentários
Carregar comentários