Segurança e cyberbullying: o que fazer para se proteger?

Tenho visto muita coisa acontecer na rede de computadores. Coisas absurdas como o suicídio da menina Amanda Todd que se enforcou por estar sendo vítima de cyber bullying. O que postar e o que não postar na internet?

Por | @nmuller99 Segurança digital

A internet vem criando coisas monstruosas, tanto para o bem quanto para o mal. As redes sociais quando criadas tinham intuito de ser algo para encontrar os amigos que não se tinha contato a algum tempo. Pouco disto foi realmente usado, o que muito se vê são pessoas postando bobagens, fotos de eventos, fotos de viagens, divulgando dados que muitas vezes são valiosos para quem “pratica o mal”.

Os criminosos estão cada vez mais astutos, os adesivos de família colados nos carros, por mais que seja divertido, as informações ali divulgadas de que sua família é composta por um casal, três filhos e dois animais de estimação podem muito bem ser utilizadas para uma tentativa de sequestro, por exemplo. Imagine que seu filho ou filha se atrasam após terem saído a noite para uma festa, nisto você recebe uma ligação de alguém que supostamente se diz um sequestrador, você a primeira vista tenta ligar para seu filho, a chamada caí em caixa postal, o seu desespero aumenta freneticamente, sem saber se é verídica a informação do sequestrador, o que você faz? É um caso delicado, que teve repercusão até nos noticiários da televisão. Pense antes de usar estes adesivos, por mais que sejam divertidos, como acima mencionado, são uma evidente informação útil para delinquentes. 

Nas redes sociais, assim como nos adesivos, suas informações ficam a mercê de todos, seu perfil por padrão é público, você sequer sabe quem já visualizou seus dados, sua foto, fotos da sua viagem, leu suas postagens do tipo: “Bahia, aí vou eu”, “festa hoje na casa do fulano, partiu”. Pense como estes dados que você posta são verdadeiros, e podem ser usados contra você. 

Fique com esta frase na sua mente: “Se não quiser que alguém veja algo, não poste na internet!”. 

O caso das fotos da Carolina Dieckmann, se era para ninguém ver fotos íntimas suas, por que as fez? Ou então se quer fazer fotos, confidencie-as em um local que somente você tem acesso, não em um local virtual, seja um dispositivo móvel ou computador. Estes aparelhos estando ligados a internet, podem muito bem vazar informações, por mais que você pense em segurança, não existe algo 100% seguro para se navegar na internet, comprar produtos e etc.  

O caso da menina Amanda Todd

Segurança e cyberbullying: o que fazer para se proteger?O suicídio de uma jovem canadense de 15 anos vítima de bullying online comoveu o país e motivou homenagens em várias partes do mundo. Amanda Todd foi encontrada morta em sua casa na quarta-feira passada um mês depois de postar um vídeo no Youtube em que contava sua história e pedia ajuda.  

No dia 7 de setembro, a adolescente publicou no YouTube um vídeo no qual relata o bullying e a depressão resultante da perseguição dos colegas. Na gravação de nove minutos, que já foi vista por milhões de pessoas, o rosto de Amanda não aparece. A adolescente também não fala, mas conta sua história com uma sequência de mensagens escritas em pequenos cartazes, identificando-se no fim do vídeo. A ex-líder de torcida disse ter sido convencida por um estranho a mostrar seus seios em um bate-papo online no Facebook. Um ano depois, um homem desconhecido contatou-a e ameaçou que se ela não fizesse "espetáculos" para ele online iria divulgar as fotos em que aparecia nua da cintura para cima aos amigos e família. E cumpriu. As suas fotos começaram a circular online e a vida na escola tornou-se insuportável. 

Então, por causa do bullying, mergulhou em uma depressão e começou a ter medo de sair de casa, buscando conforto em drogas, álcool e anti-depressivos. Também conta que bebeu água sanitária em uma tentativa anterior de suicídio após apanhar de uma menina na escola. Nem depois disso, no entanto, teria tido o apoio de colegas.

Pelo contrário, segundo ela relata em seu vídeo, na ocasião, teria recebido mensagens pela internet de ódio incentivando seu suicídio. "Todo dia penso por que ainda estou aqui'", a menina escreveu. "Não tenho ninguém. Preciso de alguém."

Investigações do caso

A polícia canadense continua a investigar as circunstâncias que levaram ao suicídio de Amanda e diz ter recebido "mais de 400 pistas" de pessoas querendo contribuir com as investigações. O objetivo da investigação seria identificar aqueles que tiveram algum contato com Amanda "antes de ela tomar sua trágica decisão", nas palavras do porta-voz da polícia local, o sargento Peter Thiessen.

Anonymous no caso

O grupo Anonymous entrou no jogo e descobriu quem foi o autor da postagem da foto da menina.  O grupo acusa o homem, de 30 anos de idade, de chantagear a garota para evitar a divulgação das imagens. O pedófilo que divulgou as imagens teve seu endereço e perfil revelado pelos hackers no site Pastebin.com. 

O vídeo:

Uma página em memória da jovem foi criada no Facebook e já soma 750 mil fãs, que se solidarizam com a garota. Ao longo do último final de semana, o nome de Amanda esteve nos trending topics do Twitter. A jovem foi alvo de milhares de homenagens na web.

Casos como este estão prestes a surgir com mais intensidade.

UPDATE: O que fazer para se proteger de cyberbullying e bullying? 

O ideal, quando se trata de colégio, é comunicar aos pais. Os pais avaliarão a respeito e, deveriam, entrar em contato com os responsáveis pelo colégio, onde está ocorrendo a situação. É importante guardar provas a respeito e, caso queiram acionar judicialmente os responsáveis, devem se dirigir a um tabelionato e registrar uma Ata Notarial. Havendo situação criminal, registrar ocorrência policial é importante. No caso de adultos e no ambiente de trabalho, quando se trata de mobbing, as providências de guardar informações da evidência digital, registrar BO e uma Ata Notarial também são fundamentais, comenta Emerson Wendt, delegado de polícia de Inteligência e Assuntos Estratégicos do RS.

Primeiro conheça alguns tipos de ameaças da internet:

  • Cyberbullying - Usar a internet (através de comunidades, redes sociais, e-mails, torpedos, blogs e fotologs) para humilhar e ofender alguém de forma constante. 
  • Happy Slapping - Evolução do cyberbullying em que a agressão acontece no mundo real. O agressor fotografa ou filma as cenas de agressão para depois mostrá-las na internet. 
  • Phishing - É quando informações particulares ou sigilosas são capturadas por pessoas mal intencionadas para depois serem usadas em roubo ou fraude. Isso pode acontecer, por exemplo, se seu pai ou sua mãe recebe um e-mail pedindo para confirmar o número do CPF ou o login e a senha de acesso ao banco na internet. 
  • Ameaça - É crime escrever ou mostrar uma imagem que ameace alguém, avisando que a pessoa será vítima de algum mal ainda que seja em tom de piada ou brincadeira. Mesmo se isso é feito de maneira anônima, é possível para a polícia e para o provedor descobrir quem foi o autor da ameaça.

 

Estas são as principais formas. O que fazer então para se proteger:

Atualizações:

Mantenha sempre atualizado, seu navegador de internet, seu anti-vírus e principalmente seu sistema operacional. Manter atualizado seus programas ajudam e muito o combate a insegurança. Estes três softwares precisam ser atualizados constantemente. Existem muitas pessoas trabalhando em cima deles para melhorar a segurança, usabilidade e integridade deles, este é o motivo pelo qual você precisa atualizá-los.

Diferencie suas senhas: 

Para cada um dos cadastros que você faz na internet use uma senha diferente. Uma dica legal é criar uma senha difícil de ser lembrada por outros, que seja uma regra que você crie, por exemplo:

  • inicial do seu nome em maiúsculo: N
  • dia do seu aniversário: 15
  • letra final do seu nome, minúsculo: s
  • nome do seu cachorro: fred
  • um caractere especial: #
  • divisão do dia do seu aniversário por 2: (7 para arredondar).
  • sua senha vai ser: N15sfred#7 
  • Para o facebook você pode usar: N15sfred#7_fb
  • para o msn: N15sfred#7_msn

Assim por diante, uma senha difícil de ser quebrada, que tenha uma regra que você saiba e diferente para cada um dos cadastros. Lembrando que a senha é só sua, de ninguém mais, nem de sua namorada. 

Para crianças:

  • Lembre-se de que o mundo virtual faz parte do mundo real, logo há perigos que não podem ser negligenciados.
  • Não divulgue dados pessoais.
  • Cuidado ao falar com estranhos, você não sabe quem está do outro lado.
  • Preserve sua privacidade! Converse apenas sobre assuntos públicos. Sua intimidade sexual só diz respeito a você.
  • Se alguém não o(a) deixou à vontade ou fez algo que o(a) incomodou, diga para parar. Fique atento e não tenha medo dizer NÃO, mesmo que seja para uma pessoa conhecida ou do seu convívio cotidiano.
  • Fique atento às políticas de privacidade dos sites.
  • Não aceite convites para encontrar alguém que conheceu na internet. Você não sabe a real identidade dessa pessoa e nem suas intenções. Se de fato quiser conhecê-la, converse primeiro com seus pais ou responsáveis para que o acompanhem.
  • Incentive seus pais e responsáveis a acompanhá-lo no acesso à internet. Você pode, inclusive, ensinar muito sobre a rede para eles.
  • Sempre que ver alguma coisa errada, denuncie por meio do site www.denuncie.org.br

E o que você faz para se proteger? Comente abaixo:

Mais sobre: segurança cyberbullying internet
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo