Ataque virtual pode fazer novas vítimas nesta segunda

Especialista em segurança alerta que número de vítimas do ciberataque da semana passada possa aumentar nesta segunda.

Por Segurança digital Pular para comentários
Ataque virtual pode fazer novas vítimas nesta segunda

Na última sexta-feira (12), como bem sabemos, um ataque virtual em massa deixou o mundo assustado. No entanto, pode ser que ele não tenha sido finalizado, e que o número de vítimas possa aumentar ainda nesta segunda-feira.

A opinião é de Rob Wainwright, diretor da agência europeia de segurança Europol. Em entrevista á rede de televisão britânica iTV, o agente disse que os "números ainda estão subindo".

"No momento estamos diante de uma ameaça crescente. (...) Estou preocupado com como os números seguirão crescendo quando as pessoas forem trabalhar e ligarem suas máquinas na segunda-feira de manhã", disse o diretor da Europol. Conforme informações internacionais, até então, o ataque já vitimou mais de 200 mil pessoas em mais de 150 países.

Leia: A nossa cobertura do ataque.

"O alcance global não tem precedentes, e é diferente de tudo que já vimos", reformou o agente. Conforme o site britânico Sky News, ao longo do final de semana, o número de hospitais afetados pela ameaça no Reino Unido sumiu de 16 para 60.

O medo de que o ataque cresça ainda neste início de semana não acontece somente na Europa. O ministro de comunicações e informações da Indonésia disse que é importante que os trabalhadores se previnam da ameaça. "Isso é essencial para os negócios que reabrirem na segunda; por favor antecipem-se e tomem ação preventiva contra o ciberataque WannaCry", disse.

Conforme a BBC, três carteiras de Bitcoin associadas ao ataque já haviam recebido um total de US$ 38 mil (R$ 118 mil) até a madrugada de hoje. O valor ainda é baixo, porém, poderá aumentar nos próximos dias já que a ferramenta ameaçava aumentar o valor do "resgate" após três dias sem pagamento. Já outras fontes alertam que o valor esteja estimado em 1 bilhão de dólares.

Uma das razões para a rápida disseminação do ataque, de acordo com a Sky News, foi justamente a sua simplicidade. "Não se trata de um ataque extremamente sofisticado. O que há de novo é que ele usa um 'worm' para se propagar de um computador para outro", mencionou o diretor do setor de cibercrimes da Europol, Steven Wilson.

Compartilhe com seus amigos:
Rafaela Pozzebom
Rafaela Pozzebom Graduada em Letras pela UFSM e especialista em Tecnologias da Informação e da Comunicação aplicadas à educação
FACEBOOK //
Quer conversar com o(a) Rafaela, comente:
Carregar comentários
Últimas notícias