[VÍDEO] Firewatch: Análise do jogo

Confira o nosso review do game Firewatch

Por | @oficinadanet Games

Firewatch é um jogo em primeira pessoa super imersivo de aventura e mistério que foi desenvolvido pela Campo Santo. Foi o primeiro jogo da desenvolvedora e teve inspirações que variam desde BioShock até The Walking Dead. O primeiro título da Campo Santo hoje pode ser jogado em diversas plataformas como PC, Mac, Linux, PS4 e Xbox One.

Leia também:

  • Firewatch é um jogo eletrônico do gênero aventura em primeira pessoa desenvolvido pela Campo Santo e publicado pela Panic, Inc.

    Estúdio Panic
    Gênero Aventura
    Classificação 17
    Desenvolvedora Campo Santo
    Jogadores Multiplayer Não possui multiplayer
    Plataforma Playstation 4, Xbox One, PC, Mac e Linux

História

O jogo é uma viagem emocional bem intensa.  A história do jogo é sobre perdas e como lidamos com problemas. Durante a curta campanha que pode ter mais ou menos 4 a 6 horas, Firewatch vai te fazer viver na pele de Henry enquanto ele trabalha um verão como guarda florestal.

Antes de embarcar no jogo de verdade, você vai ser apresentado ao passado de Henry. Essa forma de expor o passado do personagem é bem interessante e a possibilidade de escolher essa história ajuda a criar uma proximidade com o Henry, além de criar um contexto para a história do jogo.

Quando você chega no Parque Nacional de Shoshone, vai conhecer Delilah através de um walkie-talkie. Ela é sua supervisora, e vai ficar muito amiga do Henry conforme os dias passam. O diálogo com ela sempre é feito pelo walkie-talkie e você tem a liberdade de escolher o que falar e quando falar com ela. Conforme os dias forem passando, a história vai começar a mudar e tomar caminhos inesperados, mas essa evolução é feita de maneira bem sutil e muito fiel ao universo do jogo.

[VÍDEO] Firewatch: Análise do jogo

A história é bem linear e as opções de diálogo não impactam muito no andamento das coisas. Na verdade, os diálogos servem para tornar a experiência mais pessoal para o jogador porque ele consegue projetar sua própria personalidade no Henry. O jogo todo gira em torno de atmosfera e imersão além de ter uma pegada emocional bem forte, então esses diálogos acabam tendo mais essa função porque o contato constante com as personagens faz com que você comece a desenvolver um certo apego por elas.

Tanto os diálogos como a própria história são muito bem escritos. Poucos jogos conseguem te fazer rir, ficar alegre, ficar triste, tenso e com medo como Firewatch consegue.

O final da história dividiu a comunidade. Muitos acharam que foi anticlimático demais por conta do jeito que a história escala, mas muitos também acharam que foi excelente e na medida certa para aquilo que o jogo vinha trazendo, ou seja, depende mesmo é da maneira como cada um interpretou o jogo.

Podemos falar também que alguns buracos na história criaram espaço para algumas teorias da conspiração que são muito bem elaboradas. Vale a pena conferir!

Jogabilidade

Em termos de jogabilidade o que podemos dizer é que o jogo agrada. A primeira vista ele parece um mundo aberto bem grande mas a linearidade da história acaba com esse sonho bem rápido. Na verdade, os maiores problemas do jogo vêm por conta disso e do fato de que você não consegue pular nem andar em lugares que não sejam relacionados ao momento exato da história fazem com que o jogo seja meio travado nesses sentidos. A parte de exploração fica limitada porque não dá para andar em várias áreas e não dá para interagir com vários objetos a menos que eles sejam relacionados com a história.

Como parte da proposta de ambientação, o jogador se localiza no mundo utilizando um mapa e um compasso. Isso acrescenta bastante em relação à atmosfera do jogo e à imersão, mas as vezes a navegação é meio frustrante e você acaba se perdendo. Não que isso seja um problema. Na verdade, significa que o pessoal da Campo Santo acertou. Se perder e errar os caminhos e ficar checando o mapa a cada 10 passos é algo que você faria no mundo real se estivesse em uma floresta e não fosse o Bear Grylls. Então eles conseguiram criar bem essa sensação de estar meio perdido em um mundo isolado. Mas é algo para se observar, se você não estiver tão imerso no game, por ser bem frustrante.

Gráficos

A direção de arte do jogo é muito boa e Firewatch se apresenta de uma maneira única. Os gráficos são peculiares, têm uma pegada meio artística e meio simples, mas ao mesmo tempo bem atenta aos detalhes. O jogo é lindo, com certeza, e isso contribui muito para criar o ambiente de imersão total que a história necessita. É possível notar uma preocupação com coisas bem específicas, como por exemplo os vários livros, folhas de papel e até no mapa que Henry usa para se localizar no parque.

A criação do mundo do Firewatch é muito curiosa. Se por um lado você tem uma história bem pesada e triste, por outro você tem um ambiente vibrante e de certa forma alegre. Apesar dessa discrepância que pode soar esquisita, o resultado final é muito bom. Os vários ambientes conduzem o jogador conforme a própria história vai se desenvolvendo. Então se por um lado a linearidade é negativa, por outro o game acerta porque apesar do jogo ter um roteiro rígido para ser seguido isso fez com que a equipe de arte conseguisse usar os ambientes para ampliar as emoções.

[VÍDEO] Firewatch: Análise do jogo

Então conforme as várias emoções e situações diferentes vão aparecendo na história, o ambiente vai mudando para se adequar a essas situações. É como se o mundo de fora fosse uma projeção do que você e o Henry estão passando. Essa sincronia vai ser imperceptível para muita gente, mas é esse tipo de sutileza que melhora a experiência do jogador.

Talvez o único elemento que tenha faltado nos vários ambientes supersaturados e coloridos do jogo seja a presença de vida animal. A equipe que criou o jogo optou por remover a grande maioria dos animais do parque por algumas questões técnicas e isso acabou fazendo um pouco de falta.

Mas não tem problema porque os ambientes lindos e bem iluminados do jogo roubam a cena. A iluminação quase sempre tende para um laranja meio amarelado que usa tons de azul e verde escuros para contrastar que ficam incríveis. Não vão ser poucos os momentos em que você vai parar para apreciar a paisagem.

Sonoplastia

Com relação ao som, a maior parte do tempo ficamos entre o quase silêncio de uma grande floresta habitada por poucos animais e as vozes dos nossos personagens principais, Henry e Delilah.

Nos momentos de silêncio florestal, o áudio dos pássaros cantando, das águas caindo das cachoeiras e do vento ressoando nas folhas adiciona um ambiente muito relaxante e aconchegante. A qualidade do áudio da floresta é visível, com sons muito bem produzidos e muito próximos da realidade. Uma crítica, porém, é que quando Henry está andando ou correndo, não dá para ouvir os seus passos. Fora isso a atmosfera que o som cria durante o jogo é impecável.

[VÍDEO] Firewatch: Análise do jogo

Já nos momentos em que ouvimos a conversa dos personagens principais, é clara a qualidade com que as dublagens são feitas. Os artistas que dão vozes aos personagens de Firewatch conseguem transmitir raiva, medo, paixão, felicidade, apatia, empatia… todos os sentimentos condizentes com as situações que eles parecem enfrentar. Mais do que isso, a qualidade do áudio das personagens é tão bem-feita que fará você se conectar aos personagens, seja amando ou odiando eles.

A trilha sonora, por sua vez, não é tão presente durante o gameplay. Ela aparece de vez em quando, geralmente em um momento de maior tensão, bem específico, mas quando aparece, é providencial. As músicas são de um caráter de ambiente, sem letra, com uma percussão bem demarcada em momentos de tensão, uma melodia suave e tranquila em momentos de felicidade ou tranquilidade e uma melodia um pouco mais densa e melancólica em momentos sentimentais ou reflexivos.

Conclusão

Apesar de curto, Firewatch é um jogo muito divertido e envolvente! Sua trama irá te manter interessado pelo jogo durante toda a história. Apesar da história ser muito boa durante seu desenvolvimento, o final pode não agradar a todos. Mas uma coisa é certa, nós do canal Elucidário acreditamos que história é realmente complexa, muito intrigante e vale a pena ser jogada. Além disso, a qualidade tanto gráfica quanto sonora são realmente um ponto muito forte no jogo, garantindo sua imersão. Apesar de, pela quantidade de conteúdo oferecida em termos de tempo de jogo, o preço ser meio salgado, quando o jogo entrar em promoção, vale a pena adquiri-lo, definitivamente. Portanto Firewatch é, sim, um jogo que merece uma chance. E nós gostamos muito!

 

Mais sobre: firewatch, games, camposanto
Share Tweet
Comentários