Jovem sobrevive com coração artificial guardado em uma mochila

O jovem e o seu irmão foram diagnosticados com a mesma condição, que pode causar morte súbita.

Por | @oficinadanet Ciência

Stan Larkin, de 25 anos, passou 555 dias com uma bomba artificial dentro de uma mochila. O seu coração foi removido em razão de um diagnóstico de cardiomiopatia.

O jovem e o seu irmão foram diagnosticados com a mesma condição, que pode causar morte súbita. Após anos na fila de transplante, ambos receberam o SynCardia, uma espécie de coração artificial que pode bombear o sangue para o corpo.

Jovem sobrevive com coração artificial guardado em uma mochila

Jonathan Haft, durante uma entrevista coletiva, um dos cirurgiões responsáveis pelo transplante, disse que os irmãos estavam bastante doentes, assim, a ideia era que eles passassem imediatamente pelo procedimento.

"Nós queríamos que os dois conseguissem fazer os transplantes, mas não tínhamos tempo suficiente sem correr o risco de que algo acontecesse com eles antes dos procedimentos”, disse o médico.

Assim, em razão da falta de tempo, ambos irmãos receberam os corações artificiais. O irmão de Stan acabou conseguindo um doador em apenas algumas semanas, já ele, precisou carregar a mochila por mais de um ano.

O equipamento usado por Stan pesava 6 quilos e ficava conectado ao sistema vascular do paciente.

A grande preocupação dos médicos era de não saberem por quanto tempo o equipamento poderia funcionar interruptamente. No entanto, o quadro foi excelente, Stan conseguiu praticar todas as suas atividades diárias, inclusive, jogar basquete.

Em 9 de maio o jovem finalmente passou pelo transplante. "Ele é um herói. Dividir essa história poderosa nos permite ver como coisas aparentemente simples fazem toda a diferença", revelou David Pinsky, um dos médicos que acompanhou o caso.

Foi o próprio Larkin que desejou compartilhar o caso publicamente. David J. Pinsky, diretor do Centro Cardiovascular Frankel, elogiou a iniciativa: para ele, a história do jovem poderá ajudar a aumentar as doações de órgãos.

Mais sobre: ciencia coracao artificial
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Destaquesver tudo