Bitcoins - mais que uma simples moeda virtual

Nesse artigo, veremos um pouco sobre a tão famosa moeda virtual que tem ganhado repercussão tanto pela sua valorização estrondosa quanto pelas notícias de falências e supostas fraudes. Mostrarei seu funcionamento e algumas críticas implícitas que essa inovação nos deixa.

Por | @oficinadanet Internet

Introdução

Bitcoin é uma moeda virtual criada em 2009 e cercada por vários mistérios sobre seu desenvolvedor, a princípio o Satoshi Nakamoto. Considerada a primeira moeda digital descentralizada, Bitcoin possibilita fazer transferências anônimas e internacionais sem a regulamentação de bancos e governos, por isso pode sofrer variações na sua cotação de acordo com o país e pode ser negociada livremente entre o comprador e o vendedor inclusive de outros países. Existem várias empresas que funcionam como casas de câmbio para a moeda bitcoin, como Coinbase, Kraken, Bitstamp, BTC China, Blockchain.info, Circle e Mt.Gox, que leremos mais sobre eles a adiante O vídeo a seguir é uma explicação sobre Bitcoin divulgada no site "Bitcoin Foundation".

Revolução

Leia também:

Imagine uma vida sem a manipulação do nosso cruel sistema bancário. Essa nova moeda tem sido motivo de grandes discussões. No dia de seu lançamento estava cotada em US$0,05 e hoje está cotada em US$ 636,32.

Mais que popularidade, essa moeda está causando preocupações no meio econômico. A China bloqueou o câmbio de Bitcoin em dezembro de 2013. As agências reguladoras na China, o ministério da Indústria e Tecnologia da Informação, a Comissão Regulatória Bancária, a Comissão Regulatória de Títulos e a Comissão Regulatória de Seguros, e o banco central chinês, decidiram pelo bloqueio com a justificativa de proteger os interesses de propriedade do público e tomar precauções contra o risco de lavagem de dinheiro e manter a estabilidade financeira.

Mas mesmo com tantas reviravoltas, mesmo com a notícia da paralisação das atividades da maior operadora de Bitcoin do mundo, MtGox, o site interrompeu as transações no dia 7 de fevereiro e no dia 11 retirou a plataforma do ar, a cotação pelo site MercadoBitcoin no último dia 28, apontava 1 Bitcoin custando R$ 1.419,00.

Leia também:

Alguns acham que logo irá desaparecer. Outros apostam que é algo ainda novo, mas que irá se consolidar. Existe até rumores que a moeda deve ser legalizada e reconhecida por vários países. O que pode ser concluído é que uma moeda sem apoio de um banco central ou de um governo está causando alvoroço no universo econômico, visto que transações com altos valores sem taxações de impostos e sem nenhuma identificação no sistema financeiro tradicional estão acontecendo. Lojas estão aceitando tal moeda para compras de objetos reais e objetos virtuais. Analistas afirmam que a crise que sacode o bitcoin colocou em evidência as falhas da regulação desta moeda virtual e confirma as dúvidas sobre sua viabilidade. Será que essa opinião não é apenas intriga da concorrência? Quem está certo? Saberemos disso apenas com o passar do tempo, quando ou essa moeda se estruturá e será aceita abertamente por governos ou quando, aos poucos, "falências" como a da Mt.Gox forem acontecendo.

Bitcoins - mais que uma simples moeda virtual

As engrenagens

Leia também:

Como ter acesso a esse mundo? 
Um programa (bitcoin.org) provê um código de registro específico para o computador de onde serão feitas as operações. Não é preciso informar nome ou qualquer outro dado pessoal ao sistema, o que garante total anonimato ao usuário.

Como obter bitcoin? Existe três maneiras de se obter Bitcoins: por emissão ou mineração de moeda, por venda de produtos ou prestação de serviços na internet e por compra de bitcoins.

Emissão ou Mineração de moeda: Qualquer usuário pode emitir bitcoins: basta baixar um programa que gera a moeda a partir de complicados cálculos matemáticos – processo conhecido como mineração. A operação, contudo, é demorada para computadores caseiros, que possuem uma capacidade relativamente pequena de processamento de dados: PCs comuns podem levar até 15 anos para gerar 50 bitcoins. Venda de produtos ou prestação de serviços na internet: É possível prestar serviços ou vender produtos em troca da moeda virtual. Compra de moeda: Casas de câmbio eletrônicas trocam bitcoins por dólares ou euros.

Como guardar bitcoins? Com a ajuda de programa disponível na internet, os usuários criam, em seus próprios computadores, uma espécie de “carteira digital”: onde ficam armazenados os bitcoins, associados aos números específico do computador.

Como realizar operações de compra e venda com bitcoins? Há profissionais e empresas que aceitam bitcoin na compra de produtos ou contratação de serviços – eles estão reunidos em uma lista de classificados on-line www.bitcoinclassifieds.net. Já é possível adquirir livros, roupas e arquivos de música. As tranferências de bitcoins são do tipo P2P, ou seja, são feitas diretamente do computador do comprador para a máquina do vendedor, sem intermediários como bancos ou sites de pagamentos. Todas as transações são públicas: a cada operação, são publicados os códigos de identificação da transação e dos computadores envolvidos blockexplorer.com. Isso garante que cada usuário só use os bitcoins que de fato possui. A identidade dos usuários nunca pode ser conhecida, pois o sistema não carrega os dados pessoais dos usuários.

É isso!

Diante das polêmicas e do sucesso mundial, acredito que vale a oportunidade de avaliarmos a situação de que é possível termos uma alternativa aos nossos sistemas tradicionais de compra com o objetivo de se opor aos exageros exercidos pelos bancos e governos quanto a taxas e impostos. Cabe também o alerta para analisarmos a possibilidade de golpes na rede. E até mesmo os buatos em que se destacam os incentivos norte americanos para o uso da moeda virtual como sendo mais uma forma de monopolizar o mercado global.

Segue um link de site para compras bitcoinstoreE também, links para sites que apresentam as avaliações da cotação do bitcoin: mercadobitcoin, btcchina, Investing.com.

Fonte: bitcoin.org.

Mais sobre: bitcoins, moeda, digital
Share Tweet
DESTAQUES
Mais compartilhados
Comentários