Lembranças de medo podem ser aplicadas artificialmente, afirmam cientistas

Neurocientistas realizam estudos com ratos e conseguem fazer com que os mesmos lembrassem de representações mentais forjadas em laboratório.

Por | @RafaelaPozzebon Ciência

Estudo publicado nesta quinta-feira, 25 de julho na revista Science, traz a informação a respeito de um estudo realizado por Neurocientistas do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, que implantaram memórias falsas na mente de ratos, fazendo com que eles lembrassem de representações que eram forjadas.

Os estudiosos conseguiram fazer os ratos se lembrarem de representações mentais forjadas em laboratório ao estimular os neurônios de maneira artificial, através de testes, onde os mesmo descobriram que as lembranças de medo podem ser aplicadas artificialmente, abrindo assim caminho para o estudo da formação de memórias falsas nos humanos.

Mas para conseguir chegar a essa conclusão, os neurocientistas analisaram os neurônios atingidos por choques em determinada área do cérebro responsável por causar medo nos roedores, além de estimular outro em locais físicos, conseguindo assim o mesmo efeito.

Após esse procedimento, os roedores eram colocados em um novo ambiente, sendo que as mesmas células do sistema nervoso antes identificado foram estimuladas, induzindo assim o animal a relembrar o primeiro ambiente com se ele estivesse no mesmo, associando o local aos choques em uma memória falsa.

Lembranças de medo podem ser aplicadas artificialmente, afirmam cientistas

Para o responsável do estudo, o Neurocientista, Susumu Tonegawa, declarou que: “Seja uma memória falsa ou genuína, o mecanismo neural do cérebro relacionado à lembrança é a mesma”.

Mais sobre: ratos, ciência, pesquisa
Share Tweet
DESTAQUES
Mais compartilhados
Comentários