Sete razões pelas quais as senhas estão condenadas - Finalmente

Neste artigo escrito por Toby Rush, vamos ver sete razões que indicam que as senhas estão com seus dias contados. Senhas controlam sua vida. Desde acessar e-mail de trabalho e os preços das ações em movimento até verificar uma lista de compras de supermercado, as senhas...

Por | @alexscs Segurança digital

Senhas controlam sua vida. Desde acessar e-mail de trabalho e os preços das ações em movimento até verificar uma lista de compras de supermercado, as senhas tornaram-se a principal fonte de identificação de quem você é. Elas são, sem dúvida, mais importantes do que a sua carteira de motorista.

Mas essa ubiqüidade vem com um risco - este dispositivo minúsculo, mas poderoso, contém informações suficientes para expor o seu financeiro ou seus registros de saúde, além de outros detalhes pessoais. Do ponto de vista empresarial, os riscos são grandes, se não maiores.

Sete razões pelas quais as senhas estão condenadas - Finalmente

Mas essa ubiqüidade também cria confusão. Em média, os pedidos de redefinição de senha constituem de 10% a 30% de todas as chamadas de suporte em empresas de TI. É um buraco negro de produtividade.

Porém, apesar de seus problemas, as senhas têm mostrado um incrível poder de permanência. Mas aqui estão sete razões pelas quais elas podem finalmente desaparecer.

1) O comportamento não é tão firme quanto você pensa: Porta-chaves e smartphones têm substituído as chaves do carro. RFID (Radio-Frequency IDentification) é agora a principal maneira de acessar edifícios. As pessoas não estão apegadas a formas específicas de autenticação. Se você lhes der algo melhor e mais conveniente, elas vão adotá-lo.

2) Falta de segurança: Enquanto a maioria dos ataques ocorre em back-ends, senhas ainda são um risco de segurança. Alguns criminosos de data centers são especificamente orientados para obter senhas e PINs.

Autenticadores de hoje precisam atender a dois critérios principais. Primeiro, eles precisam incorporar um sistema de identificação único que pode representar apenas uma única pessoa. Em segundo lugar, o autenticador deve ser capaz de detectar a falsificação, de modo que apenas a pessoa autorizada possa utilizar este identificador exclusivo.

Combinações de nomes de usuário e senhas podem, teoricamente, serem muito longas - e, portanto, únicas. No entanto, não há uma "vivacidade" de verificação de senhas. O sistema não tem como saber QUEM enviou a senha.

3) Sua memória não é muito boa: Quantas senhas diferentes você tem? A pessoa usa em média 10 senhas on-line todos os dias. Quantas vezes por mês você tem que clicar no botão de “Esqueci minha senha”? Qual é a senha de sua conta do seu site preferido? Na melhor das hipóteses, você tem seu telefone ou computador que memorizam sua senha, uma dor de cabeça de segurança (e um que não funciona se você apagar os cookies).

4) Sensores de bordo já existentes vão permitir segurança móvel: O número de dispositivos conectados (tablets, smartphones, sensores, computadores, etc) vai crescer para 15 bilhões até 2015. Segundo o site Gartner.com, em 2013 os telefones celulares vão ultrapassar os PCs como os dispositivos mais comuns da internet e que, até 2015, mais de 80% dos aparelhos vendidos em mercados serão smartphones.

Com esses dispositivos conectados, uma variedade de autenticações pode ser feita de uma só vez: as câmeras podem capturar os as retinas das pessoas; o GPS pode determinar a localização; e endereços IP e cartões SIM característicos podem ser usados para realizar a autenticação.

5) Os mercados emergentes vão impulsionar a adoção de tecnologia: Desde 2010, o governo da Índia tem tido a maior e mais sofisticada criação de banco de dados do mundo de identidades pessoais. Ao fornecer números de identificação única para mais de 1,2 bilhões de pessoas, o governo está direcionando serviços humanos essenciais para elas- seja distribuição de comida, ajuda financeira ou de assistência para a educação.

Servir uma população culturalmente e linguisticamente diversa requer autenticação simples, segura e escalável. A necessidade de trazer os cidadãos mais pobres do país para o mainstream vai mover a adoção da tecnologia em um ritmo incrível.

6) Picos de mobile banking: Berg Insight estima que 894 milhões usuários irão acessar o mobile banking até 2015. Números de cartões de crédito, números de CPF e senhas são todas as identidades numéricas que estão constantemente em risco de ser roubadas. Nos próximos meses e anos, espere ver mais bancos indo além senha e tecnologia PIN.

7) Monetização das redes sociais vai continuar a introduzir novos perigos: Quanto mais usamos as redes sociais para jogos, comércio eletrônico e outras transações online, mais abrimos portas para novas ameaças à invasão de privacidade e roubo de identidade. Senhas simplesmente não são boas o suficiente para lidar com as ameaças.

Claro, senhas provavelmente sempre têm seu uso para coisas de baixa prioridade e tarefas de autenticação. Mas, para proteger as coisas que realmente importam, as senhas não podem satisfazer seu destino em breve.

--

Artigo original (em inglês): ReadWrite, escrito por Toby Rush

Mais sobre: senha, segurança, passwords
Share Tweet
DESTAQUESRecomendadoMais compartilhados
Comentários
AINDA NÃO SE INSCREVEU?

Vem ver os vídeos legais que
estamos produzindo no Youtube.