Quanta emoção: Google Home ajuda menino com dificuldades a falar sua primeira palavra

A criança não conseguia falar, no entanto, ao ouvir os sons de animais no Google Home, passou a pronunciar a sua primeira palavra.

Por | @oficinadanet Google

Os assistentes digitais chegaram para ficar. Eles acabam sendo usados por diversas pessoas, para diferentes fins. Exemplo disso é o seu uso no auxílio de pessoas com dificuldades de fala ou mesmo algum tipo de deficiência.

Um bom exemplo de uso vem de um pai, Patrick Crispen, professor assistente de educação médica na Keck School of Medicine of USC, em Los Angeles. Conforme ele, o seu filho pequeno não conseguia falar, no entanto, ao ouvir os sons de animais no Google Home, passou a pronunciar a sua primeira palavra. Alguém consegue adivinhar qual é? Pois bem, a primeira palavra falada pelo menino é Google.

Quanta emoção: Google Home ajuda menino com dificuldades a falar sua primeira palavra.Quanta emoção: Google Home ajuda menino com dificuldades a falar sua primeira palavra.

Leia também:

A palavra em questão (Google), representa uma espécie de código para a reprodução dos barulhos emitidos pelos animais. Ao ativar o aparelho o garotinho escuta os sons emitidos pelos bichanos, como miados, latidos, entre outros.

Os pais, claro, não puderam ter ficado mais felizes com o fato. “Ele simplesmente não fala. Nada. Zero palavras. Então nós compramos o Google Home nas últimas férias e nosso filho simplesmente adora os sons de animais. Então, imagine nossa alegria e surpresa quando ele começou a falar nesse final de semana. Isso mesmo. A primeira (e única palavra) que nosso filho fala é ‘Google’”, disse.

Após os pais publicarem o fato, outras pessoas começaram a relatar as suas histórias. Confira algumas delas:

“Meu sobrinho tem a mesma idade, está na terapia para a fala e a única palavra que ele dizia durante um tempo era ‘Google’ por causa do Google Home. Agora ele diz muito mais do que apenas perguntar sobre sons de animais”, disse uma pessoa.

“Sou um SLP (Speech-Language Pathologist ou “Patologista de Linguagem e Fala”) e já vi esses dispositivos fazerem maravilhas com as crianças! Eles são grandes motivadores. Trabalhei com um estudante com Síndrome de Down que tinha dificuldades nas articulações e ele ficava muito chateado porque a Alexa (assistente da Amazon) que ele possuía não conseguia entendê-lo. Em todos os dias da terapia passamos a praticar novas perguntas para a Alexa, até que ele conseguiu entendê-lo. Ele odiava a terapia até a Alexa aparecer. Estou muito feliz por você!”, diz outro relato.

Mais sobre: google google home
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Destaquesver tudo