Oficina da Net Logo

Facebook admite culpa em Mianmar, mas não assume todo problema

No globo, a rede alterou a sua política de violência confiável para poder cobrir publicações com informações errôneas que poderiam causar algum tipo de violência.

Por | @oficinadanet Facebook Pular para comentários

O Facebook divulgou as conclusões de uma avaliação independente sobre o seu papel na recente violência genocida em Mianmar. A empresa admite que não estava fazendo o suficiente para impedir que sua rede “fosse usada para fomentar a divisão e incitar a violência offline”, porém, diz que começou a fazer mudanças para evitar que isso possa ocorrer novamente.

O uso da rede social de Mark Zuckerberg em meio a crise no Mianmar tem recebido críticas por vários ângulos, incluindo ativistas até as Nações Unidas. Uma coalização liderada por ativistas de Mianmar, Síria e outros seis países fez três demandas específicas da rede social. No caso era solicitada a transferência sustentada, uma auditoria pública independente e mundial, e também um compromisso público para igualar os padrões em todos os territórios em que os Facebook está ativo.

Facebook admite culpa em Mianmar, mas não assume todo problema.Facebook admite culpa em Mianmar, mas não assume todo problema.

O relatório do Facebook é uma verdadeira mistura. Ele foi conduzido pela Business for Social Responsibility , uma organização independente sem fins lucrativos com sede em São Francisco, sendo qualificado como independente, mas fica aquém da auditoria mundial que a coalizão solicitou. Leia em destaque: Como baixar vídeos do Facebook sem programas [ATUALIZADO 2018].

A demanda da coalizão, que solicita que o Facebook aplique os seus padrões no mundo todo, e muito mais difícil de avaliar. Cada um dos países é único, com padrões em todo o mundo, podendo perder partes cruciais do contexto.

O Facebook criou uma equipe própria para abordar os problemas específicos de Mianmar na plataforma, com uma equipe que inclui 99 falantes nativos do local. De acordo com a companhia, ela já tomou medidas em cerca de 64 mil peças de conteúdo por violação de suas políticas de discurso de ódio.

No mundo, a rede alterou a sua política de violência confiável para poder cobrir publicações com informações errôneas que poderiam causar algum tipo de violência iminente ou mesmo danos físicos.

Cada país possui problemas únicos, mas o relatório sugere que o Facebook tem investido para compreender o contexto único da violência recente no Mianmar.

Fonte: The Verge

MAIS SOBRE: #rede social  #markzuckerberg
Comentários
Carregar comentários