MIT, em parceria com universidade chinesa, cria sistema de dessalinização via energia solar de alta eficiência

MIT, em parceria com universidade chinesa, consegue desenvolver sistema de dessalinização da água com alta eficiência . Veja como funciona!

Por Tecnologia Pular para comentários
Testes em um telhado do prédio do MIT, mostraram que um simples protótipo do dispositivo de dessalinização, é capaz de produzir água limpa e potável a uma taxa equivalente a mais de 5,78L por hora para cada metro quadrado de área de paineis solares. Fonte
Testes em um telhado do prédio do MIT, mostraram que um simples protótipo do dispositivo de dessalinização, é capaz de produzir água limpa e potável a uma taxa equivalente a mais de 5,78L por hora para cada metro quadrado de área de paineis solares. Fonte

É irônico saber que aproximadamente 70% da superfície do nosso planeta é coberta por água, mas a maior parte dela não é potável devido ao sal. A dessalinização da água através da utilização de tecnologias é de grande importância para fornecer mais água potável para locais onde o líquido próprio para beber é escasso. Duas equipes de diferentes universidades fizeram uma parceria para a colaboração em um projeto que utiliza a energia solar para realizar a dessalinização da água.

O sistema de dessalinização de multicamada mostrou uma eficiência geral de 385%

Os pesquisadores responsáveis pela nova técnica de dessalinização a partir da energia solar vem do MIT, nos EUA, e da Universidade de Shanghai Jiao Tong, na China. De acordo com os cientistas, o sistema de multicamada possui uma eficiência geral de 385%, sendo capaz de produzir até 5,78L de água limpa por metro quadrado de painéis solares, obtendo o dobro da produção de outros projetos semelhantes.

As camadas citadas acima, são compostas por uma etapa isolante, que faz com que a luz do sol seja transferida para uma camada preta de absorção de calor. Em seguida, o calor passa por diversas camadas de material absorvente, que direcionam a água para baixo. Com isso, a água contida nesta última camada evapora e chega a outra superfície, onde ela é condensada e escorre para ser coletada.

O diagrama ilustra a estrutura bsica do sistema de dessalinização proposto. A luz solar passa por uma camada isolante transparente à esquerda, para aquecer um material absorvente de calor preto, que transfere o calor para uma camada de material absorvente (mostrado em azul), onde evapora e se condensa em uma superfície (cinza) e, em seguida, escorre para ser coletada como gua potvel e fresca. Fonte: MIT
O diagrama ilustra a estrutura básica do sistema de dessalinização proposto. A luz solar passa por uma camada isolante transparente à esquerda, para aquecer um material absorvente de calor preto, que transfere o calor para uma camada de material absorvente (mostrado em azul), onde evapora e se condensa em uma superfície (cinza) e, em seguida, escorre para ser coletada como água potável e fresca. Fonte: MIT

Segundo os pesquisadores, o maior fator responsável por essa eficiência é a forma como o calor é conservado. Ao invés do calor ser perdido para o ambiente, ele é transferido para a camada onde ocorre a evaporação. Desta forma, o sal é separado da água através do material de absorção e de maneira natural é removido. À medida que o material esfria, o sal se mistura de volta na água do mar.

O projeto desenvolvido pelo MIT em parceria com a universidade Shanghai Jiao Tong foi publicado em um artigo na revista Energy and Environmental Science.

Fonte: MIT, newatlas

Comentários:
Carregar comentários