Entenda os seis pilares da comunicação M2M

Se você quer entender cada um dos seis pilares da comunicação M2M (máquina à máquina), este artigo pode esclarecer suas dúvidas sobre o Monitoramento remoto, RFID, Rede de Sensores, Dispositivo inteligente, Telemática e Telemetria.

Por | @oficinadanet Tecnologia Pular para comentários

O M2M ou 'Máquina a Máquina' é a comunicação entre várias máquinas sem esforço humano. O M2M desempenha um papel importante no desenvolvimento da Internet das Coisas, e consiste em uma tecnologia avançada que é capaz de reduzir custos, obter dados confiáveis, facilitar o monitoramento e o controle. Ele fornece mais funcionalidade e melhor manutenção para seus usuários. O M2M foi inicialmente desenvolvido para a indústria de manufatura. Se você quer saber mais sobre como funciona a tecnologia de comunicação M2M, recomendamos ler o nosso artigo: O que é a comunicação M2M? (Machine to Machine), porque neste artigo, vamos abordar quais são os seis pilares da comunicação M2M.

O trabalho básico do M2M pode ser resumido como o processo de conectar um dispositivo físico ao hardware de comunicação, e assim obter os melhores resultados de negócios, alcançando a automação. 

Os 6 pilares do M2M (Machine to Machine)

Os 6 pilares servem como fatores básicos que devem ser estudados antes da implementação do M2M. Na conferência e feira de negócios da M2M United, em 2007, a revista editorial M2M Peggy Smedley introduziu um novo gráfico que ajuda a encapsular o universo M2M em constante expansão. 

O gráfico abrange os “seis pilares” da tecnologia máquina a máquina, representando segmentos de mercado que envolvem ativos físicos de rede e a integração de dados de máquinas nos sistemas de negócios. Os seis pilares do M2M são:

  1. Monitoramento remoto
  2. RFID (identificação por radiofreqüência)
  3. Rede de sensores
  4. Serviços inteligentes
  5. Telemática
  6. Telemetria

Confira abaixo os detalhes de cada um deles.

1. Monitoramento remoto

O monitoramento remoto é parte integrante da comunicação entre máquinas. Ele nos permite acessar vários dispositivos conectados, mesmo de um local remoto. O monitoramento remoto usa dispositivos conectados, servidores e softwares de gerenciamento para criar um sistema a fim de controlar a automação em larga escala. A maioria dos sistemas de monitoramento remoto geralmente inclui recursos de diagnóstico e depuração, para resolver os problemas rapidamente.

2. RFID

O RFID ou 'Identificação por radiofrequência' (em tradução livre) lida com a identificação e rastreamento de objetos no campo eletromagnético. É uma alternativa melhor para códigos de barras, e fornece resultados de alta qualidade ao receber as informações de identificação. 

Também é útil na coleta e armazenamento de dados. O RFID usa ondas de rádio para coletar dados e inserir esses dados diretamente no banco de dados. Uma parte importante da tecnologia RFID são as etiquetas RFID. A etiqueta é composta de material protetor para salvar os seus circuitos de qualquer dano externo. A tecnologia RFID pode ser alterada de acordo com sua aplicação.

3. Rede de Sensores

Uma rede de sensores contém alguns dispositivos conectados e uma conexão sem fio. A conexão sem fio é usada para monitorar as leituras dos sensores conectados. Os dispositivos conectados geralmente são distribuídos por uma área ampla, para a qual o dispositivo pode reportar vários parâmetros, como temperatura, condições do solo, etc. Normalmente, uma rede de sensores contém um computador básico, a Internet e dispositivos móveis, todos interconectados.

4. Dispositivo inteligente

O dispositivo inteligente é um dispositivo que reduz o esforço humano e toma decisões inteligentes, a par com o pensamento humano, para concluir uma tarefa específica. 

Dispositivos inteligentes são basicamente dispositivos habilitados para IoT, que usam uma rede de computadores para obter dados de qualquer forma de sensores, como umidade, temperatura, velocidade, etc. Um dispositivo inteligente vem com a funcionalidade de conectar, compartilhar e interagir com o usuário.

5. Telemática

Este é o ramo que lida com a transmissão de informações a longa distância. É uma métrica muito importante, que é necessária em áreas como eletrônica e engenharia elétrica, segurança rodoviária, telecomunicações, indústria automotiva, entre outras. Junto com a transmissão, ela também é usada para a informática de qualquer sistema de comunicação de grande alcance.

6. Telemetria

Por fim, essa tecnologia lida principalmente com a produção, indústria e aplicações médicas. A telemetria também se dedica ao manuseio de um sistema industrial remoto. É uma tecnologia sem fio, usada para transferir os dados obtidos dos dispositivos conectados em um sistema remoto. O uso de telemetria é predominantemente no registro contínuo de dados durante um grande período de tempo. É um dos tópicos mais pesquisados ​​no M2M.

Estes 6 pilares ajudam os pesquisadores e desenvolvedores a listar os domínios de uma aplicação M2M específica. Eles também servem como base para entender o M2M. 

O M2M serve como um campo muito importante da Internet das Coisas. Ele também economiza como uma tecnologia ideal para obter as melhores ações de consumo possíveis em uma empresa.

E então, este artigo conseguiu esclarecer sobre os 6 pilares do M2M para você? Esperamos ter ajudado o seu entendimento, e nos colocamos à disposição para esclarecer dúvidas na seção de comentários.

OFICINA DA NET NO YOUTUBE
Gosta de tecnologia, smartphones e hardware? Então inscreva-se agora!

Não, obrigado