São 62% dos brasileiros que conhecem ou já ouviram falar de TV 3D com óculos, que permite a visualização de imagens a três dimensões com auxílio de óculos.

Quanto mais jovem, maior o grau de conhecimento do aparelho. De acordo com o estudo, realizado pela empresa de pesquisa de mercado Gfk, entre os entrevistados dos 18 aos 24 anos o percentual chega a 74%, e cai para 52% entre os que têm mais de 56 anos. Já os homens superam as mulheres em nível de conhecimento, 66% contra 58%.

Conforme a Gfk, regionalmente, a nova tecnologia é mais lembrada no Sul do País, com 64% das citações. Enquanto isso, os consultados do Norte e Centro-Oeste são os mais alheios à TV 3D, 40%. E os integrantes das classes A e B superam os da C e D em familiaridade com a novidade, 70% contra 54%, respectivamente.

No que diz respeito à TV de LED, apenas 41% dos entrevistados estão cientes da existência da tecnologia. Os homens lembram mais deste modelo de televisão do que as mulheres, com 52% versus 32%. Os entrevistados dos 18 aos 34 anos também são maioria, com 49% das citações.

De acordo com a pesquisa, na análise por classes, observa-se uma diferença notória. Mais de metade das pessoas das classes A e B, 52%, conhecem o aparelho de LED, enquanto que este número desce para menos de 1/3, 31%, entre os entrevistados das classes C e D.

TV de LCD/Plasma é a preferida dos brasileiros

Apesar de ser conhecida por apenas 41% dos participantes do estudo da GfK, a TV de LCD/Plasma é, no entanto, a mais cobiçada pelos brasileiros (49% dos entrevistados optariam pelo modelo se fossem comprar uma televisão hoje e os preços fossem semelhantes).

A TV 3D com óculos aparece em seguida, lembrada por 27% dos consultados, e a TV de LED recebeu 15% das indicações.

Dos 49% que citaram o modelo de LCD/Plasma, as mulheres são as mais interessadas em adquiri-lo, 53%. Também têm a mesma intenção os entrevistados a partir de 45 anos (55%), do Nordeste (53%) e das classes C e D (58%).

Já a TV 3D, apontada por 27% dos pesquisados, é a preferida daqueles dos 18 aos 24 anos (41%), das classes A e B (34%) e do Norte e Centro-Oeste (32%). Homens e mulheres têm praticamente o mesmo índice de pretensão, 27% e 28% respectivamente. Dos 15% que têm intenção de adquirir um aparelho de LED, o desejo é maior para os consultados dos 25 aos 34 anos (21%), das classes A e B (21%), do sexo masculino (20%) e do Sudeste do País (17%).

A GfK ouviu 1.000 pessoas, a partir dos 18 anos, de 12 cidades das regiões metropolitanas do Brasil, entre os dias 6 e 26 de maio deste ano.