Oficina da Net Logo

NASA identifica barreira de hidrogênio ao redor do Sistema Solar

Ao que tudo indica, o Sol emite partículas carregadas que, ao entrar em contato com as partículas de hidrogênio entre os planetas.

Por | @oficinadanet NASA

A sonda espacial New Horizons, que foi lançada pela NASA em 2006, está se aproximando da fronteira do nosso Sistema Solar, estando a uma distância aproximada de 6,5 bilhões de quilômetros da Terra.

A espaçonave detectou uma grande barreira que aparentemente é composta por hidrogênio no local onde termina o raio de alcance do Sol. Há três décadas, a sonda Voyager já passou por esta área e fez observações semelhantes. Esta nova sonda fornece novas informações sobre tal fronteira.

Ao que tudo indica, o Sol emite partículas carregadas que, ao entrar em contato com as partículas de hidrogênio entre os planetas, faz com que elas possam emitir luz ultravioleta. Com o passar do tempo, a velocidade de tais partículas solares diminui ao enfrentar o espaço interestelar.

NASA identifica barreira de hidrogênio ao redor do Sistema Solar.NASA identifica barreira de hidrogênio ao redor do Sistema Solar.

Leia também:

Deste modo, as partículas solares, como consequência, acabam se acumulando nessa fronteira convencional, onde elas se aquecem, se comprimem e mudam o seu campo magnético. É justamente deste modo que a barreira de hidrogênio se ilumina.

O brilho que foi encontrado pelo aparelho Alice que está acoplado a sonda era bastante forte. Assim, após uma investigação, o pesquisador Randy Gladstone disse que em tal área pode haver outra fonte de luminosidade que os pesquisadores irão tentar registrar.

Uma das explicações possíveis é que existam partículas de hidrogênio que vêm do espaço interestelar e interagem com as partículas acumuladas no raio de alcance do Sol.

As semelhanças com o estudo feito há 30 anos é grande, porém, agora é preciso confirmar se tal muralha é composta por hidrogênio ou por outra substancia, explica Gladstone.

“Acreditamos que há algo mais lá fora, outra fonte de brilho”,  disse Gladstone.

Agora, a sonda está no cinturão de Kuiper, aguardando um asteroide com 30 quilômetros de diâmetro passar pelos arredores. Após isso, ela continuará em direção à nuvem de Oort.

COMPARTILHE
Comentários
Carregar comentários