Busca do Google revela relação entre mulheres e educação com pornografia

"Mulher negra/loira/ruiva/japonesa dando aula" resultam em conteúdo pornográfico nas buscas do Google, revelando novamente como mulheres educadoras são fetichizadas na sociedade.

Por Google Pular para comentários
Busca do Google revela relação entre mulheres e educação com pornografia

Pelo maior site de pesquisas do mundo, podemos ter uma clara ideia de como funciona a sociedade e de como se comportam os internautas. Pelos resultados de busca do Google, se descobriu a associação de termos como "mulher negra dando aula" com pornografia explícita. O site Techtudo ainda realizou alguns testes próprios para confirmar a relação e contatou diretamente o Google a respeito.

Acontece que há uma relação entre termos que envolvem mulheres e educação à conteúdo explícito pornográfico. Isso não é culpa direta do Google, que é uma ferramenta de busca e não produz conteúdo algum, mas simplesmente o filtra de acordo com palavras e pela "relevância" criada pelo critério de quantidade de buscas, acessos e de conteúdo existente com as palavras-chave.

Não apenas mulheres negras, mas "mulher loira/ruiva/japonesa dando aula" já implicam em resultados pornográficos. A internet é simplesmente um reflexo da nossa sociedade, que ainda reproduz uma forte fetichização da mulher em posições no ramo de educação. Esses resultados de buscas representam que muito conteúdo erótico é produzido com essas palavras-chave, e que também há muitas buscas com essas diretrizes. Entretanto, uma busca por "mulher branca dando aula" não resulta nesse tipo de conteúdo.

Ainda há pouco tempo, a palavra "professora" tinha entre as definições a seguinte: "prostituta com quem adolescentes se iniciam na vida sexual", mostrado pelo dicionário parceiro do Google. Essa questão já foi resolvida e a definição excluída. O Google ainda reitera que não tem a intenção de trazer esse tipo de material pornográfico para tais buscas, e que trabalhará em uma melhor filtragem.

É possível também filtrar conteúdo sexual pelo SafeSearch que o próprio Google oferece. A empresa também respondeu o Techtudo com o seguinte posicionamento oficial: "Quando as pessoas usam a Busca, queremos oferecer resultados relevantes para os termos usados nas pesquisas e não temos a intenção de mostrar resultados explícitos para os usuários, a não ser que estejam buscando isso. Claramente, o conjunto de resultados para o termo mencionado não está à altura desse princípio e pedimos desculpas. Estamos investigando o problema e, como sempre, vamos buscar uma solução para aprimorar os resultados não somente para este termo, como também para outras pesquisas que possam apresentar desafios semelhantes."

Compartilhe com seus amigos:
Comentários:
Carregar comentários