Oficina da Net Logo

Casa Branca pede que Google abandone mecanismo de busca chinês

O Google ainda não confirmou oficialmente a existência do Dragonfly.

Por | @oficinadanet Google Pular para comentários

Assim que surgiram notícias sobre um possível buscador do Google elaborado especialmente para China, que possui um grande padrão de censura, muitas críticas já surgiram. Conforme o The Wall Street Journal, o vice-presidente Mike Pence disse em um discurso que o mecanismo de busca modificado do Google, nomeado de Dragonfly, iria “fortalecer a censura do Partido Comunista e comprometer a privacidade dos clientes chineses”.

O Google ainda não confirmou oficialmente a existência do Dragonfly. Sundar Pichai, CEO da companhia, disse que a as coisas eram simplesmente “exploráveis” e nos “estágios iniciais”, de qualquer forma, a oposição ao programa já surgiu.

Casa Branca pede que Google abandone mecanismo de busca chinês.Casa Branca pede que Google abandone mecanismo de busca chinês.

O New York Times cita ainda que cerca de 1.400 funcionários do Google assinaram uma carta solicitando mais informações sobre o Dragonfly, além disso, um grupo de representantes da Câmara pediu formalmente ao Google explicações sobre o projeto. O The Intercept cita ainda que o pesquisador sênior do Google Jack Poulson acabou renunciando o seu cargo em forma de protesto. Leia em destaque: Palavras mais buscadas no Google em 2018 no Brasil e no Mundo.

O Google estava esperando que seus serviços entrassem na China até 2010, mas a companhia desistiu após entrar em conflito com Pequim.

Como sabemos, a China é um mercado bastante valioso, já que conta com 1 bilhão de usuários de internet. Por essa razão, fica fácil entender a razão do Google retornar ao país.

Fonte: The Verge WSJ

Você tem Telegram? Então inscreva-se grátis aqui no canal do Oficina da Net e recebe todas as notícias pelo mensageiro.

MAIS SOBRE: #Google  #buscador  #China  #censura
Comentários
Carregar comentários