Cientistas detectam novo tipo de buraco negro após colisão massiva

Cientistas relataram ter detectado um novo buraco negro a bilhões de anos-luz de distância, graças a ondas gravitacionais peculiares.

Imagem: Divulgação
Imagem: Divulgação

Ainda não entendemos muitas coisas sobre os buracos negros, que pairam no limite de nosso conhecimento científico. Sabemos que os buracos negros parecem se enquadrar em duas categorias; aqueles que resultam do colapso de uma única grande estrela e buracos negros supermassivos que têm milhões de bilhões de massas solares. Os chamados buracos negros de massa intermediária (IMBH) entre os dois extremos têm sido elusivos - até agora. Cientistas do LIGO e do VIRGO Scientific Collaboration relataram ter detectado um IMBH a bilhões de anos-luz de distância, graças a ondas gravitacionais peculiares.

Temos um entendimento razoavelmente bom de como os buracos negros de massa estelar se formam. Quando uma estrela várias vezes maior que o Sol fica sem combustível nuclear, sua própria massa a comprime em uma singularidade da qual nem mesmo a luz pode escapar. Os buracos negros supermassivos são menos compreendidos, mas a teoria principal é que eles crescem a partir de buracos negros menores puxando a matéria e se fundindo com outros buracos negros ao longo de muitos eras. Esses objetos têm 100.000 massas solares ou mais com uma gravidade tão forte que podem ancorar uma galáxia. Nossa galáxia possui um buraco negro supermassivo no centro conhecido como Sagitário A * (pronuncia-se Sagitário A).

Os cientistas identificaram vários IMBHs candidatos, mas os projetos LIGO e VIRGO fornecem as melhores evidências até o momento. Esses instrumentos usam interferometria a laser para detectar ondas gravitacionais de eventos catastróficos, como colisões de estrelas de nêutrons e buracos negros. Os cientistas também podem rastrear as ondas de volta aos objetos que as produziram. Recentemente, a equipe detectou a onda gravitacional GW190521, que começou sua jornada em direção à Terra há 7 bilhões de anos, quando dois buracos negros de médio porte colidiram.

De acordo com o estudo, esses buracos negros tinham cerca de 85 a 65 vezes a massa do sol. Isso os coloca bem além do limite de um buraco negro estelar, mas muito aquém de um buraco negro supermassivo - eles estavam bem no meio de uma terra de ninguém. O novo buraco negro tem cerca de 142 vezes a massa do Sol e ainda é um IMBH. Em comparação, o supermassivo Sagitário A * tem cerca de 4 milhões de massas solares.

Essa descoberta levanta algumas linhas interessantes de investigação. Como os dois buracos negros em colisão eram maiores do que um buraco negro de massa estelar, de onde eles vieram? Eles poderiam ser o resultado de colisões anteriores? Este novo IMBH continuará crescendo agora que tem gravidade suficiente para aspirar mais material? Tudo o que podemos dizer agora é que esses buracos negros "impossíveis" existem. Nós apenas não sabemos o porquê ainda.

5 Fones Bluetooth, qual comprar?

Conteúdo relacionado

Existe um buraco negro com 34 bilhões de vezes a massa do Sol e que engole uma estrela por dia
Ciência

Existe um buraco negro com 34 bilhões de vezes a massa do Sol e que engole uma estrela por dia

Esse buraco negro supermassivo é o que cresce em velocidade mais acelerada que se tem conhecimento, nomeado de J2157, ele não se encontra em nossa galáxia.

Xiaomi faz parceria com a Taboola para ofertar recomendações de notícias
Xiaomi

Xiaomi faz parceria com a Taboola para ofertar recomendações de notícias

Mais de 100 milhões de dispositivos em mais de 60 países no mundo, devem receber notícias na tela de bloqueio do Xiaomi.

Facebook bane extensão que permitia apagar todas as amizades e páginas
Facebook

Facebook bane extensão que permitia apagar todas as amizades e páginas

Como Louis Barclay não tem como bater de frente com a gigante companhia do Facebook, ele vai deletar a extensão.