O que é o solstício que acontece em 21 de Dezembro de 2018?

Neste dia 21 de Dezembro de 2018, acontece um importante evento astronômico, que na verdade é um divisor de águas entre estações: O solstício de verão. Entenda o que é e como funciona.

Por Ciência Pular para comentários
O que é o solstício que acontece em 21 de Dezembro de 2018?

A duração da luz do dia e a localização do nascer do sol e do pôr-do-sol mudam de forma regular ao longo do ano. A humanidade observa há milhares de anos esses fenômenos, tanto é que temos monumentos como o Stonehenge na Inglaterra - ou, por exemplo, em Machu Picchu, no Peru - para acompanhar o progresso anual do sol. Mas você sabe o que é o solstício de verão, que acontece nesse 21 de Dezembro?

Antigamente, nossos ancestrais não entendiam o porque desses eventos astronômicos, e na maioria das vezes, atribuíam à espiritualidade e divindades. Mas hoje sabemos que o solstício é um fenômeno causado pela inclinação do eixo da Terra e seu movimento em órbita ao redor do sol.

O que é o solstício de 21 de Dezembro de 2018?

Como a Terra não orbita verticalmente, mas é inclinada em seu eixo 23,5 graus, os hemisférios norte e sul do planeta trocam de lugar ao receber a luz e o calor do sol mais diretamente. A inclinação da Terra, e não a nossa distância do sol, é o que causa o inverno e o verão. No solstício de dezembro, o Hemisfério Sul, que é aonde a maior parte do território do Brasil se encontra, está mais próximo do sol.

SolstícioSolstício

No solstício de dezembro, a Terra está posicionada de forma que o sol atinge a parte abaixo do horizonte do Pólo Norte. Como visto, a partir de 23,5 graus ao sul do equador, na linha imaginária que rodeia o globo, conhecido como o Trópico de Capricórnio (no Brasil, esta linha passa pelos estados de Mato Grosso, Paraná e São Paulo), o sol brilha diretamente ao meio-dia.

Trópico de Capricórnio - BrasilTrópico de Capricórnio - Brasil

No solstício, o sol atinge o máximo possível do sul do planeta. Todos os locais ao sul do equador têm dias superiores a 12 horas. Já as localizações ao norte do equador têm dias de duração inferiores a 12 horas.

Depois do solstício de verão, os dias ficam mais longos e as noites mais curtas. É uma mudança sazonal que quase todo mundo percebe.

Quais os sinais do solstício na natureza? 

Para nós, seres vivos da Terra, nada muda muito neste dia, apenas a duração do dia mesmo. Se você mora no hemisfério norte, vai notar os amanheceres tardios e o pôr-do-sol e o arco baixo do sol no céu todos os dias. Você pode notar quão baixo o sol aparece no céu ao meio-dia. E não se esqueça de olhar para a sua sombra do meio-dia. Na época do solstício de dezembro, é a sombra temporal mais longa do ano.

Já no Brasil, é o oposto. O amanhecer chega cedo, e o anoitecer chega atrasado. O sol está alto. É a menor sombra ao meio-dia do ano.

Por que o nascer do sol mais cedo do ano não ocorre no dia do solstício? 

O solstício de dezembro marca o dia mais curto do ano no hemisfério norte e o dia mais longo do hemisfério sul. Mas o primeiro nascer do sol - ou o nascer do sol mais cedo  - acontece antes do solstício de dezembro. Muitas pessoas percebem isso e podem ficar em dúvidas do porquê.

A chave para entender o nascer do sol mais cedo do ano é entender o chamado de verdadeiro meio dia solar - a hora do dia em que o sol atinge seu ponto mais alto em sua jornada pelo céu.

 

A discrepância entre o nascer do sol mais cedo e o solstício de verão ocorre principalmente por causa da inclinação do eixo da Terra. Um fator secundário, mas que contribui para essa discrepância entre o meio-dia do relógio e o meio-dia do sol, vem da órbita elíptica-oblonga da Terra ao redor do sol. 

A órbita da Terra não é um círculo perfeito, e quando estamos mais próximos do sol, nosso planeta se move mais rápido em órbita. Nosso ponto mais próximo do sol - ou periélio - vem no início de janeiro. Então, estamos nos movendo mais rapidamente em órbita agora, um pouco mais rápido que nossa velocidade média, que é cerca de 30 quilômetros por segundo. A discrepância entre a hora do sol e a hora do relógio é maior em torno do solstício de dezembro do que no solstício de junho, porque estamos mais perto do sol nessa época do ano.

A data precisa do nascer do sol mais cedo depende da sua latitude. No meio das latitudes setentrionais, vem no início de de cada ano. Nas latitudes temperadas do norte mais ao norte - como no Canadá e no Alasca - o primeiro pôr-do-sol do ano ocorre em meados de dezembro. Perto do Círculo Ártico, o primeiro pôr-do-sol e o solstício de dezembro ocorrem no mesmo dia ou perto dele.

Em Ubatuba (SP), cidade cortada pelo Trópico de Capricórnio, o nascer do sol registrado mais cedo ocorreu na primeira semana de Dezembro, às 5:05 da manhã (desconsiderando o horário de verão). 

O nascer do sol mais cedo do ano não acontece ao mesmo tempo em todo o planeta. Isso também nos leva a conclusão que ele não tem nada a ver com o solstício. Das latitudes médias do sul, o nascer do sol mais cedo chega no início de janeiro.

As datas exatas variam, mas a sequência é sempre a mesma: o nascer do sol mais cedo começando ao Equador em Novembro, e indo ao sul progressivamente, o dia mais curto no solstício em 21 de dezembro, o último nascer do sol no início de janeiro. E assim o ciclo continua.

Resumindo: Em 2018, o solstício de verão acontece em 21 de dezembro às 20:23 (horário de Brasília). Isso quer dizer que o dia 21 de dezembro é o dia mais curto do Hemisfério Norte (primeiro dia de inverno) e o dia mais longo do hemisfério sul (primeiro dia de verão). 

Compartilhe com seus amigos:
Comentários:
Carregar comentários