Princípios e Sistemas da Informação - Parte I

Dependendo do tamanho da organização e de sua complexidade estrutural e política, pode existir a necessidade de diferentes tipos de sistemas de informação que exigem abordagens de desenvolvimento diversas.

Por | @senhorvillela Tecnologia
Galerinha irei colocar abaixo tópicos sobre Sistemas e Principios da Informação, irei dividir em várias matérias para não ficar bem cansativo para leitura.

O problema da organização que resulta em um sistema de informações pode ter duas abordagens principais:
  • problema estruturado: requer uma solução rotineira e repetitiva e estabelece o mesmo diagnóstico sempre que o mesmo problema é encontrado;
  • problema semi-estruturado: sua solução mostra que apenas uma parte da resposta deve ser imediata, por meio de um determinado procedimento. Para qualquer abordagem que se utilize, o processo de resolução de problemas é o mesmo que já foi apresentado.
1. Ciclo de vida dos sistemas
O ciclo de vida tradicional dos sistemas ainda é o método predominante na construção de sistemas médios e grandes.

Os diversos estágios têm atividades relacionadas que devem ser finalizadas para o início do próximo estágio. Uma questão muito interessante nesse método é a determinação clara e formal da divisão de trabalho entre os envolvidos.

A maior parte do trabalho é entregue aos profissionais técnicos da área de tecnologia, cuja atividade inicial é a análise dos problemas dos sistemas em uso e a especificação das soluções.

Posteriormente, os profissionais responsáveis pela implementação da solução codificam e testam os componentes de softwares dos sistemas.

Esses dois grupos de profissionais precisam manter uma relação extremamente próxima com os especialistas empresariais (gerentes, chefes e usuários) para a correta modelagem da solução. Essa relação continua a ser muito passivo, o que pode causar determinados transtornos para a agilização da solução correta.

Um dos maiores problemas da metodologia do ciclo de vida é sua característica rígida e inflexível, a qual estimula a estagnação das especificações no início do processo de desenvolvimento.

A ideologia de fazer alterações tardias promove uma série de prejuízos para a organização. Essa metodologia não é muito indicada para sistemas que necessitam de soluções mais imediatas, como as aplicações de decisão.

Existem outros métodos de construção de sistemas de informação que resolvem a maioria das limitações do ciclo de vida e que utilizam a mesma metodologia de resolução de problemas já estabelecida.

Princípios e Sistemas da Informação - Parte I

2. Prototipagem
Esse método se resume na construção de um protótipo do sistema, podendo ser um sistema experimental completo ou uma parte dele. A prototipagem tem

Como características principais rapidez e economia, permitindo que os usuários possam executar um test-drive da aplicação.

Dessa maneira, o sistema pode ser modelado de acordo com as demandas do usuário, facilitando a modelagem do sistema final. Essa metodologia permite ainda que os usuários revejam suas necessidades e descubram requisitos antes não percebidos.

Ela é indicada quando não há certeza em relação àquilo que o usuário precisa ou quando há uma grande mutabilidade inicial, característica marcante de muitos sistemas orientados ao processo de decisão. É importante, nesse processo, criar grupos de usuários de acordo com a natureza dos resultados que ele requer.

Normalmente, são estabelecidos pelo menos dois grupos:
  • intuitivos: aqueles que necessitam de gráficos, diagramas, cronogramas, linhas de tendência e imagens para desenvolver seu trabalho;
  • sistemáticos: aqueles que demandam informações quantitativas (tabelas, datas, lugares e números) para desenvolver o seu trabalho.
Esse método é também importante para testar a interface com o usuário do sistema de informações, o que permite verificar a racionalização do método de trabalho e o aumento da produtividade pessoal.

As estatísticas demonstram que a prototipagem pode chegar ao sistema final que atende a todas as necessidades do usuário em média com 15% do tempo estimado para o desenvolvimento convencional. É relevante lembrar que esse método não é eficaz para aplicações de pequeno porte ou que utilizem cálculos complexos.

A prototipagem não proporciona o mesmo nível de análise quando comparado com o do ciclo de vida, e a documentação normalmente é falha devido ao alto poder de decisão sobre o sistema estabelecido para os usuários.

Mais sobre: sistemas da informação, prototipagem
Share Tweet
DESTAQUESRecomendadoMais compartilhados
Comentários