Oficina da Net Logo

Apple comenta sobre privacidade no Face ID

iPhone X ainda não chegou ao mercado, porém, a expectativa é que se torne um sucesso de vendas.

Por | @oficinadanet Apple Pular para comentários

Recentemente, a Apple lançou os seus novos smartphones iPhone 8, iPhone 8 Plus e o iPhone X, que acabou despertando o maior interesse por parte dos consumidores. O iPhone X chega com novidades que estavam sendo aguardadas há tempo, como o recurso Face ID que tem como objetivo a autenticação para o aparelho.

Por ser novidade, a Apple segue esclarecendo dúvidas sobre a tecnologia. Em resposta ao Senador norte-americano Al Franken, a companhia da Maçã esclareceu dúvidas de segurança sobre dados coletados pela tecnologia, como a segurança do cliente e ainda acesso de terceiros aos dados.

Apple comenta sobre privacidade no Face ID.Apple comenta sobre privacidade no Face ID.

A Apple esclarece que a chance de uma pessoa aleatória desbloquear o iPhone X é de uma em um milhão. A empresa diz que após cinco tentativas malsucedidas, o usuário é solicitado a inserir a sua senha para conseguir desbloquear o aparelho. Sobre o armazenamento da identidade dos usuários no Face ID, a Apple comentou: Leia em destaque: Vale a pena trocar seu iPhone X pelo iPhone XS, iPhone XS MAX ou iPhone XR?.

“Os dados da identificação do rosto, incluindo as representações matemáticas do seu rosto, são criptografados. Esses dados nunca sairão do dispositivo. Ele não é enviado para a Apple, nem está incluído nos backups do dispositivo. Imagens de rosto capturadas durante o desbloqueio não são salvas e são imediatamente descartadas, uma vez que, a representação matemática é usada apenas para comparação com os dados de identidade de rosto já armazenados.”

Sobre o compartilhamento de dados com terceiros a Apple diz que:

“Ao usar o Face ID, o aplicativo é notificado apenas sobre se a autenticação foi bem-sucedida; e ele não pode acessar o Face ID ou os dados associados ao rosto do usuário.”

No entanto, a Apple não esclarece a real pergunta do senador, ou seja, sobre os prováveis pedidos de dados de poderão ser feitos através de ações judiciais. Porém, a companhia deixa claro que não possui acesso aos dados que ficam armazenados.

Sobre a reposta, o Senador declarou:

“Agradeço a vontade da Apple de me envolver com meu escritório sobre esses problemas e fico feliz em ver as etapas que a empresa tomou para responder às preocupações de privacidade e segurança do consumidor. Planejo acompanhar a Apple para descobrir mais sobre como ela planeja proteger os dados dos clientes que decidirem usar a última geração da tecnologia de reconhecimento facial do iPhone”.

O iPhone X ainda não chegou ao mercado.

Comentários
Carregar comentários