Todo ano, centenas de milhares de pessoas caem em golpes que são espalhados pelo WhatsApp. Muitos desses golpes são até inovadores, já que esses criminosos sempre arrumam um jeito melhor de prejudicar as pessoas e conseguirem lucrar com isso. Mesmo assim, existem aqueles golpes que muita gente está cansado de saber, e infelizmente atinge mais e mais pessoas.

Pensando em resolver esse problema, separamos uma lista com pelo menos cinco golpes que podem aparecer no seu WhatsApp e que você deve evitar. As dicas vão te ajudar a ficar em estado de alerta e saber identificar esses golpes antes que seja tarde demais.

5 golpes de WhatsApp mais comuns em 2021: como não cair

1. Fake news

As Fake News são tão perigosas que podem tirar a vida de uma pessoa.
As Fake News são tão perigosas que podem tirar a vida de uma pessoa.

A cada dia que passa, as fake news tem cada vez mais se tornado um obstáculo para a sociedade humana. Embora sejam proibidas pelo próprio WhatsApp, assim como diversas outras redes sociais, as notícias falsas são um tipo de artimanha muito utilizada para fraudar os dados dos usuários. O WhatsApp tem se preocupado tanto com esse problema, que por diversas vezes, a plataforma anuncia novas medidas instaladas no app com o objetivo de frear a divulgação e o compartilhamento das fake news.

Dentre as principais medidas adotadas, uma que se tornou crucial é a limitação de compartilhamento de mensagens para até cinco pessoas da sua lista de contatos, e se caso esta for uma notícia que já foi muito compartilhada no WhatsApp, a inteligência do aplicativo bloqueia o compartilhamento para apenas um usuário por vez.

Como proteger contra fake news?

Solução: Com o objetivo de acabar com as fake news, vários sites confiáveis montaram um sistema de checagem de notícias falsas. Uma das mais utilizadas é o FakeCheck que inclusive tem um bot implantado diretamente no WhatsApp. Antes de compartilhar, basta copiar o texto da notícia, colar na página de checagem, e o sistema vai te dizer se você pode ou não repassar para outras pessoas.

Como as conversas são privadas e criptografadas de ponta-a-ponta, o próprio WhatsApp não pode verificar todas as mensagens que são enviadas pelo seu mensageiro, porém, a plataforma disponibiliza a opção para denunciar uma notícia em que você suspeite de sua legitimidade.

Para acessar o FakeCheck clique aqui.

2. Links maliciosos

Os links maliciosos estão escondidos em mensagens boas demais para ser verdade.
Os links maliciosos estão escondidos em mensagens boas demais para ser verdade.

Assim como as notícias falsas, outra armadilha muito utilizada pelos golpistas é o compartilhamento em massa de links maliciosos. Geralmente, esses links são enviados com informações que parecem ser boas demais para acreditar. No início da pandemia, por exemplo, os criminosos usaram o Auxílio Emergencial e a distribuição de álcool em gel como isca para atrair vítimas, e com isso conseguia roubar dados pessoais das vítimas com o objetivo de lucrar com a exibição de anúncios.

Saque do FGTS, entrega grátis de um super almanaque da Turma da Mônica, acesso vitalício a Netflix ou Spotify de graça, e até vagas de emprego foram tipos de links utilizadas para afetar as vítimas.

Como proteger contra links maliciosos?

Solução: Esse tipo de golpe pode ser evitado se você tiver um antivírus instalado em seu smartphone, até porque esse programa tem monitoramento em tempo real que consegue identificar o que é uma ameaça phishing. Além do antivírus é necessário atenção, até porque o melhor antivírus é você! Então, suspeite de promoções que são boas demais e jamais clique nesses links suspeitos, por mais que tenham sido encaminhados por pessoas de confiança, ou até em grupos de amigos ou família. Se você criar essa prática, em determinado momento só de olhar você vai conseguir identificar se é um link suspeito ou não.

3. WhatsApp clonado

Golpista solicita a confirmação do código enviado por SMS. (Imagem: Reprodução/Kaspersky Lab)
Golpista solicita a confirmação do código enviado por SMS. (Imagem: Reprodução/Kaspersky Lab)

Esse tipo de golpe é mais comum do que se imagina. Com o objetivo de roubar dinheiro de determinadas pessoas, o criminoso se aproveita de uma lista de contatos e se passa pelo usuário, que até então perde o acesso do seu dispositivo.

Para conseguir isso, primeiramente o golpista se passa por uma empresa que o usuário conhece, e entra em contato pelo próprio WhatsApp ou até por ligação afirmando que houve um suposto erro no sistema e que seria resolvido se a vítima informar o código que foi enviado por SMS. Essa mensagem contém o código de verificação do número da vítima, que quando confirmado, cede acesso a todas as mensagens e contatos ao golpista.

A partir daí, o golpista consegue enviar mensagens para os contatos da vítima, geralmente com alguma história que tenha o intuito de pedir dinheiro. Os familiares e amigos da vítima, sem saber que a pessoa por trás daquela mensagem se trata de um golpista, caem nas artimanhas do criminoso e depositam o dinheiro, às vezes até em grande quantidade.

Como proteger contra clonagem de WhatsApp?

A forma mais fácil de se proteger é ativar a verificação em duas etapas no WhatsApp.

Solução: Fique atento, e jamais envie, compartilhe ou informe o código de verificação que você recebe por SMS, nem mesmo para pessoas conhecidas. Além disso, suspeite de qualquer mensagem que for enviada em nome de uma empresa, principalmente dessas que solicitam alguma conformação devido a problema técnico.

4. Contas falsas

As contas falsas são criadas com objetivo de pedir dinheiro se passando por outra pessoa.
As contas falsas são criadas com o objetivo de pedir dinheiro se passando por outra pessoa.

Além do WhatsApp clonado, também é necessário tomar cuidado com contas falsas que são criadas pelos golpistas com usuários de pessoas reais, o que não mostra nenhuma suspeita de fraude. Nesse golpe o criminoso cria uma nova conta no WhatsApp e insere os dados públicos de uma pessoa, como nome, foto de perfil e status. Depois disso, ele entra em contato com os amigos da vítima se passando por ele e dizendo que por algum motivo teve que trocar o seu número. Até aí, é difícil suspeitar de alguma coisa. Mas se em seguida a pessoa pedir dinheiro emprestado, é fácil afirmar que se trata de um golpe.

Como se proteger contra contas falsas?

Solução: Se você receber uma mensagem de um perfil que tenha a foto, nome e status de um amigo ou familiar seu, e que depois de contar a história da troca de numero lhe solicite alguma quantia em dinheiro, tente confirmar a veracidade dessa informação, mas por um meio de contato que você consiga ter certeza de que é a pessoa que você falando. Você pode ligar para alguém mais próximo a pessoa, pode enviar uma mensagem por outra rede social, ou até mesmo verificar o perfil verdadeiro da pessoa para se certificar de que a pessoa mudou de número. O WhatsApp tem um recurso implantando que identifica essa alteração.

Para evitar que esse tipo de coisa aconteça, deixe os seus dados de perfil no privado, onde apenas pessoas da sua lista de contatos podem ter acesso a sua foto e status.

5. Aplicativo espião

É muito utilizado para roubar senhas de banco e monitorar cada atividade da vítima.
É muito utilizado para roubar senhas de banco e monitorar cada atividade da vítima.

Outro golpe que tomou força no WhatsApp durante os últimos anos é a clonagem por meio de aplicativos espiões. Esses aplicativos parecem inofensivos, mas na realidade eles usam um sistema de spywares (ou stalkerwares) que basicamente abre a porta do seu telefone por alguma fresta, e o golpista pode ter acesso a uma série de informações pessoais, como conversas do WhatsApp, senhas de outras redes sociais, senhas de conta bancárias e até a localização do vítima em tempo real.

Esse tipo de coisa parece assustador, mas a cada dia que passa, isso tem se tornado cada vez mais comum. Com a intenção de monitorar as atividades de seu cônjuge, aqueles parceiros ciumentos instalam esse malware no celular da vítima e a partir disso consegue monitorar cada atividade da pessoa. Nesse caso, a pessoa só consegue realizar a instalação desse invasor de forma física, ou seja, o golpista tem que estar com o celular da vítima em duas mãos.

Mas além dos parceiros ciumentos, existem também os ataques hackers que geralmente enviam o malware através de phishing e, sem saber do que se trata, a própria vítima instala o aplicativo espião no celular. Independente de como seja instalado, com o objetivo de monitorar o parceiro ou roubar os dados pessoais, usar aplicativo espião está previsto em lei e é crime.

Como proteger contra app espião?

Solução: Novamente, para evitar o acesso ao seu smartphone por meio de um malware, nada mais útil que um antivírus capaz de identificar ameaças instaladas no seu celular. Esses aplicativos agem em tempo real e costumam te notificar sobre o risco que você pode estar correndo.

Mas além disso, outros indícios podem indicar que existe alguém te monitorando, portanto, fique atento se a bateria do seu celular estiver descarregando muito rapidamente, e ao usar os dados móveis, verifique a taxa de consumo para identificar se existem picos de uso durante o dia sem explicação. É claro que vários problemas de hardware e até software ocasionam nesses sintomas para um smartphone. Mas se além desses problemas, se você perceber que está recebendo diversas mensagens na tela, como pop-ups invasivos, é provável que você tenha sido afetado por um app espião. Fique atento!