Saiba o que é mAh. Que diferença faz nas baterias de smartphones e tablets?

Todo mundo quer ter um celular potente, que lhe dê o máximo rendimento pelo maior tempo possível. Quem não lembra da época em que os velhos celulares precisavam de uma carga na bateria somente depois de uma semana de uso "intenso"?

Por | @oficinadanet Hardware

Ao procurar por um novo smartphone ou tablet, normalmente olhamos as suas especificações. Além de tipo de tela, processador, memória, também nos deparamos com valores em “mAh”.

Mas afinal, o que isso significa para um aparelho?

mAh

O mAh é a abreviatura para miliampere-hora, ou seja, uma unidade para medidas de capacidade de bateria. Com isso, quanto maior o seu valor, mais chances que um determinado dispositivo durar mais com uma carga.

As baterias de smartphones e tablets, por ter valor considerado baixo, utiliza uma subunidade de medida que multiplica o número mil vezes. O valor da capacidade de mAh determina quanto um aparelho, mesmo que tenha especificações semelhantes, pode durar mais com uma carga de bateria. Assim, se um aparelho possui bateria com capacidade diferente de outro, um deles tende a ter maior duração de carga. No entanto, se os aparelhos possuírem especificações, como processador, tela, entre outros itens, diferentes, o cálculo de tempo de duração da bateria fica mais impreciso.

Para entender melhor, uma bateria com 2.000 mAh possui capacidade de consumo de 200 mA por até 10 horas. Já uma bateria de 3.000 mAh, que teoricamente tem mais capacidade, consegue abastecer um aparelho de 350 mA por cerca de 8 horas e meia.

Um bom exemplo é o iPhone 5S, que conta com bateria de 1.560 mAh. O Galaxy S4, por sua vez, possui 1.000 mAh a mais que o aparelho da Maçã, ou seja, 2.560 mAh. No entanto, ambos possuem uma diferença muito pequena de desempenho de uma carga, já que possuem consumo bem diferente. O Galaxy costuma ter maior consumo em virtude de sua tela e também por outros componentes que exigem maior energia.

No geral uma bateria de maior mAh é mais capaz, porém, vale sempre ressaltar que tudo depende da necessidade de gasto de energia de cada aparelho. Isso significa que não é regra geral que um aparelho com maior mAh funcione por mais horas que outro com menos mAh.

Saiba o que é mAh. Que diferença faz nas baterias de smartphones e tablets?

Cada bateria possui um tempo de duração, e como vimos, está relacionado ao seu mAh. Assim, de acordo com o Blog das Baterias há um valor estimado para cada modelo. Veja:

  • 3 Células -  2000 – 2400 mAh
    Duração aproximada de 1h30 minutos (telas a LED o dobro;
  • 4 Células -  2200 – 2400 mAh
    Duração aproximada de 1h30 a 2horas (telas a LED o dobro);
  • 6  Células – 4400 – 5200 mAh
    Duração aproximada de 2horas a 2h30 minutos (telas a LED o dobro);
  • 8  Células – 4400 – 5200 mAh
    Duração aproximada de 2h30 minutos a 3horas;
  • 9  Células -  6000 – 7800 mAh
    Duração aproximada 3horas a 30 minutos (telas a LED o dobro);
  • 12  Células – 6000 – 7800 mAh
    Duração aproximada 4horas (telas a LED o dobro);
  • 12  Células – 8000 – 8800 mAh
    Duração aproximada 4horas 4h30 minutos (telas a LED o dobro).

Diferentes tipos de bateria

Nos celulares, smartphones e tablets sempre há uma indicação do tipo de bateria usada. Saiba que cada tipo de tecnologia usada em cada bateria pode influenciar no desempenho de um aparelho. Conheça as baterias:

Níquel-cádmio (NiCd): As baterias de níquel-cádmio foram as primeiras que surgiram que podiam ser recarregadas. Os componentes, principalmente se comparados aos usados nas baterias de íon-lítio (as mais usadas atualmente) eram grandes e pesados. Um de seus maiores defeitos era que facilmente a bateria ficava viciada. Por essa razão era necessário consumir a carga por completo para que pudesse ser recarregada.

Hidreto metálico de níquel (Ni-MH): Ao logo do tempo as baterias tiveram a substituição do níquel-cádmio pelo hidreto metálico de níquel o que deixou as baterias mais finas e também com maior capacidade. A necessidade de esperar a carga finalizar por completo também acabou não sendo tão necessária.

Íon-lítio (Li-Ion): Com o uso do íon-lítio, um metal mais leve, foi possível desenvolver baterias menores e também menos pesadas. Tais baterias podem ser recarregadas a qualquer momento e ainda contam com um grande potencial energético. Atualmente é o tipo mais comum de bateria usada nos dispositivos portáteis.

Polímero de lítio (ou Lítio-polímero): Ainda pouco conhecidas e usadas, somente produtos da Apple e o Kindle, da Amazon usam a tecnologia. Elas possuem uma capacidade similar as baterias de íon-lítio, porém são mais baratas.

Mais sobre: bateria hardware smartphone
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Destaquesver tudo