Loja on-line que vendia produtos Xiaomi e que por um período até disse ser revenda oficial (informação na época foi retirada do site por não ser verdadeira), desapareceu do mapa, mas deixou vestígios!

Depois de conquistar audiência por conta de parcerias com Youtubers com muitos inscritos, como em qualquer ação de marketing a empresa caiu nas graças dos fãs da marca e ainda teve sua loja alavancada com a chegada da verdadeira representante da Xiaomi no Brasil.

Mas para entender um pouco mais sobre esse caso, temos que voltar para 2017, quando surgiu a WisePlus no final daquele ano com a proposta de trazer também produtos da Xiaomi para o mercado nacional, e lembrando, um pouco antes disso, ela apareceu com a ideia de trazer smartphones com Windows 10, mas isso não foi pra frente.

Pois bem, você deve estar se perguntando, mas pra que ir tão longe. Explico.

Logo depois que o site da WisePlus desapareceu da internet após uma ação de lançamento do site com preços abaixo do mercado, que também lesou dezenas de consumidores, a loja on-line Mi Store Brasil, apareceu e sua propaganda na época era toda voltada a "buscar sites confiáveis para fazer suas compras" e etc.

Agora o mesmo aconteceu, a Mi Store Brasil, sumiu lesando centenas de consumidores que fizeram suas compras no período de novembro de 2019 até o momento.

Buscando mais informações a respeito tive acesso a três empresas distintas, uma responsável pela Mi Store Brasil e Huawei Store Brasil, a Action Sales Companhia Digital LTDA (CNPJ 29.497.760/0001-38), com baixa dada dia 12/01, outra presente no descritivo das faturas de cartão de crédito, JCell (CNPJ 24.160.696/0003-43) e, ainda uma terceira que aparecia nos boletos para pagamentos (pior forma de pagamento).

Ao consultar as informações sobre o CNPJ das empresas participantes (seja lá de que maneira for) temos os seguintes dados.

CNPJ Action Sales
CNPJ Action Sales - Responsável pelas lojas on-line da Mi Store Brasil e Huawei Store Brasil.

CNPJ JCell
CNPJ JCell - Faturas de cartão com compras realizadas mostras a JCell como empresa recebedora dos pagamentos.
PAD Eletrônicos - Nome que era exibido nos boletos de pagamento das compras nas lojas on-line
PAD Eletrônicos - Nome que era exibido nos boletos de pagamento das compras nas lojas on-line

Vale lembrar que essa consulta é pública e pode ser realizada por qualquer pessoa através do link da Receita Federal.

http://servicos.receita.fazenda.gov.br/Servicos/cnpjreva/Cnpjreva_Solicitacao.asp

A JCell diz não ter relação com a Action Sales, mas basta uma busca no Google para descobrir que o website da empresa aponta para o site da mistorebrasil.com que está fora do ar, do outro lado a Action Sales não se manifestou até a presente data.

Vínculo aparece no Google Negócios, que traz o site da Mi Store Brasil e também o telefone de atendimento
Vínculo aparece no Google Negócios, que traz o site da Mi Store Brasil e também o telefone de atendimento



E também o próprio site que até dois dias atrás estava no ar, não está mais.

Site da JCell também foi retirado do ar, mas as informações de propriedade de domínio mostram o proprietário da loja
Site da JCell também foi retirado do ar, mas as informações de propriedade de domínio mostram o proprietário da loja.



O responsável informado no site da Receita pela Action Sales, parece ter apagado sua conta nas redes sociais, inclusive fazia parte da minha lista de amigos do Facebook, assim como muitos outros youtubers tech e também de pessoas que trabalham em veículos tech.

Eu mesmo quando a Mi Store Brasil apareceu no mercado e pela pessoa ser conhecida entrei em contato por mais de uma vez para ver se conseguia unidades de smartphones da Xiaomi para teste.

Afinal não tenho a verba necessária para comprar todos os smartphones que são lançados, mas por algum motivo não consegui um único smartphone emprestado e também por alguma razão não indiquei à loja.

Mas muito provavelmente se tivesse recebido o produto para teste, teria estabelecido uma relação de parceria e também teria indicado à loja.

Vale lembrar ainda que à loja antes de sumir do mapa, após as vendas realizadas durante a Black Friday 2019, vinha entregando os smartphones que vendia, havia casos de atraso que eram resolvidos, casos de defeito que foram também resolvidos.

Gráfico mostra o número de reclamações sobre a loja no site Reclame Aqui. (Fonte TechTudo)
Gráfico mostra o número de reclamações sobre à loja no site Reclame Aqui. (Fonte TechTudo)

Contudo, o fato da loja sumir e pessoas relacionadas a ela apagarem suas contas nas redes sociais, faz acender um sinal de alerta. O site Reclame Aqui, que até antes deste problema somada reclamações de atraso de entrega, mas que tinham problemas resolvidos, agora tem uma chuva de reclamações sobre a Mi Store Brasil que provavelmente não serão sanadas.

Então a lição é, por mais que você tenha conhecimento sobre uma empresa, algumas ações são inteiramente de responsabilidade da própria e de seus representantes. Youtubers e clientes satisfeitos que fazem propaganda boca a boca que indicaram à loja não são responsáveis pelas ações da empresa.

Pagamento via Paypal da Mi Store Brasil mostra vinculo com a JCell
Pagamento via Paypal da Mi Store Brasil mostra vínculo com a JCell

O sumiço das lojas on-line (Mi Store Brasil e Huawei Store Brasil) e agora a JCell Prime Store também fora do ar, complicam a vida dos consumidores. Que vem buscando se ajudar, criaram um grupo no Telegram, vem marcando postagens no Instagram e grupos sobre smartphones Xiaomi no Facebook na tentativa de se unir e conseguir serem ressarcidos.

Para tentar auxiliar de alguma forma o consumidor lesado, vão aí algumas DICAS.

  1. Sempre opte por efetuar o pagamento via cartão de crédito, pois em um caso desses, diante de tantas reclamações, a operadora do cartão pode estornar o valor pago resolvendo o problema do pagamento.
  2. Pagamentos realizados via PayPal também seguem o mesmo procedimento.
  3. Pagamentos por Boleto Bancário, Transferência Bancária e pasmem, Mercado Pago, as chances de receber o dinheiro de volta são praticamente nulas. Em contato com pessoas que foram lesadas e que fizeram seus pagamentos usando o Mercado Pago, tive a surpresa, assim como elas, que a modalidade avulsa de uso do Mercado Pago, não está coberta pela proteção do Mercado Livre, pois ela funciona como uma transferência bancária, enviando o dinheiro direto para a conta do vendedor. Impossibilitando a intermediação.
  4. MAIS IMPORTANTE! Salve sempre todas as telas de suas pesquisas que resultam em compras, todo e qualquer problema no futuro podem ser resolvidos mais facilmente com esses dados salvos, preço exibido no site, especificações do produto, método de pagamento, comprovantes, tudo!

Diante de todos esses fatos, é importante que uma coisa fique clara, visto que uma caça às bruxas na internet. Parem de imputar culpa em quem em algum momento indicou à loja. Todo cuidado deve ser tomado, é necessário se resguardar sempre.

Espero que os reais responsáveis sejam encontrados e punidos e que os consumidores lesados consigam de alguma forma ser ressarcidos.

[ATUALIZAÇÃO]

No grupo de consumidores lesados no Telegram, existe participante que afirma ter sido funcionário da JCell e que apesar da empresa afirmar que não tem vínculo com a Action Sales, o vínculo existe, eu mesmo já indique acima através de pesquisa no Google.

Um consumidor lesado pela loja, tomou a iniciativa de ligar para a loja física buscando informações sobre a loja on-line, durante a ligação um dos vendedores afirmou que a loja on-line havia sido retirada do ar pois as operações seriam somente na loja física e que ambas as lojas são de propriedade de Julio Hintemann.

Outra declaração também vinda de outro ex funcionário da loja, que trabalhava no atendimento das lojas virtuais, afirma ter perdido contato com os responsáveis pelas lojas on-line e alega não ter tido seu pagamento de dezembro depositado e completou dizendo que o nome que aparece no CNPJ da Action Sales, Anderson Figueiredo é braço direito de Julio Cesar Hintemann Filho, proprietário da JCell.

Em contato com Anderson Figueiredo, o mesmo afirmou "Não sei de nada mano" e antes enviou uma foto em um bar com uma cerveja aberta sobre a mesa. O que você acha dessa postura? É uma postura profissional?