Review Sky: Filhos da Luz, um mobile lindo do conceito à experiência

Sky: Children of the Light (ou Filhos da Luz em português) é um jogo dos mesmo criadores de Journey disponível para iOS, Android e Nintendo Switch que diverte, relaxa e emociona.

Imagem promocional de Sky: Filhos da Luz - Créditos - ThatGameCompany
Imagem promocional de Sky: Filhos da Luz - Créditos - ThatGameCompany

Existem games de todos os tipos, em especial para smartphones, os que envolvem puzzle são muito populares, alguns de tiro viraram um enorme sucesso como é o Free Fire, enquanto outros preferem jogos de corrida ou até mesmo RPGs. Agora, um tipo especial de jogo é aquele que te emociona, aquele que te faz admirar a beleza do game e que transmite uma sensação de paz e tranquilidade, e tudo isso é difícil de se fazer vingar em um mobile. Sky - Filhos da Luz faz isso e muito mais com uma excelência sem precedentes nas plataformas móveis. Dos mesmo criadores de outro maravilhoso game relaxante, Journey (Inicialmente para Playstation 3 e 4 mas que chegou a ser lançado para iOS), Sky entrega o que propõe: Uma experiência bela e emocionante que pode te fazer imergir em uma aventura espiritual mesmo estando fisicamente em um lugar caótico e barulhento.

Sky: Children of the Light (em seu título original) é um game da The Game Company (TGC) para Android, iOS e também para Nintendo Switch. Claro que o maior alcance do game está nos smartphones, ainda mais sendo um game gratuito para baixar, mas conta com compras dentro do game. A proposta do jogo segue a linha de Journey, que traz muita similaridade no estilo 3D de Fumito Ueda (Shadow of the Colossus e The Last Guardian), paisagens e mecânica de jogabilidade. Contudo, Sky ultrapassa seu antecessor. Lançado em julho de 2019, o jogo foi eleito Game of The Year pela Apple, e merecidamente. Conheça melhor os aspectos do jogo:

Conceito e proposta:

Tipicamente um jogo alinhado ao slow-gaming, ou seja, um jogo que subtrai elementos mais comuns dos jogos mainstream, como ação, reflexos rápidos e adrenalina, para se voltar à contemplação, emoção e comoção. Sky: Filhos da Luz é um jogo para se sentir, sem pressa, experienciar cada diálogo, cada criatura e paisagem.

Se trata de um jogo sobre interações sociais, gentileza e amizade. Cada jogador é uma espécie de espírito dos céus e todos possuem uma capa que permite ao jogador voar de maneira a transmitir a leveza e sensação de liberdade com uma mecânica de controle muito gostosa e leve. Todos jogadores podem interagir entre si de uma maneira limitada: com expressões corporais e ações pré-definidas e que se conquistam ao longo da exploração do mundo, por meio de balões de texto acima de sua cabeça e também por compartilhar "luz". É necessária luz para ativar novas expressões e visuais estéticos, como cabelo, capas e outros. A luz é conquistada ao ajudar outros espíritos NPCs ao longo de sete reinos diferentes, cada um representando um estágio da vida. O jogo possui muito conceito, mas é essencialmente muito simples e nada complicado, é afinal um jogo para se relaxar e promover somente boas interações entre as pessoas, interações de amizade, de solidariedade e diversão.

Imagem promovida pela ThatGameCompany para representar interação entre player em Sky: FIlhos da Luz
Imagem promovida pela ThatGameCompany para representar interação entre player em Sky: FIlhos da Luz

Jogabilidade:

Novamente, o jogo é muito simples. A interface é completamente limpa e ela só aparece mediante ao toque na tela em determinados pontos. Ao tocar o lado direito, você pode pular e voar ao segurar o toque, enquanto o lado esquerdo funciona como um joystick para a movimentação do personagem. O único fator sempre presente na tela é a carga da sua capa, que determina se você tem energia ou não para voar. Essa carga se recarrega sozinha e também ao se aproximar de qualquer ser vivo ou absorver luz de qualquer fonte, incluindo entre os players. Esse pequeno ícone de carga da capa fica no meio superior da tela e ao clicar sobre ele é aberta uma interface de interações e expressões. Existem opções de dançar, sentar, torcer, tocar música, enfim, interações inocentes e divertidas que são utilizadas para a socialização dos player e também em missões para ajudar espíritos.

As interações com o mundo se resumem a fornecer, compartilhar e receber luz de coisas, seres vivos, players e espíritos. Cada ser vivo também oferece uma interação diferente, por exemplo, é possível subir em cima de uma espécie de baleias voadoras e voar junto delas.

Não se trata de um jogo com algum nível de dificuldade em controles, o único desafio real que o jogo trás é em alguns puzzles ao longo da exploração do universo de Sky e missões para ajudar espíritos.

Existe um hub central, um home de cada jogador onde há portais para cada um dos sete reinos e também onde são oferecidas quests e lugares especiais para a customização de seu personagem.

Gráficos e performance:

Sky: FIlhos da Luz não é um jogo leve, muito pelo contrário, é um jogo bastante pesado e com detalhes gráficos bem avançados para um mobile. Sendo assim, não é em qualquer smartphone que o jogo vai rodar com suavidade. Testamos Sky em um Redmi Note 8, com processador octa-core 1.9 GHz e 4GB de memória RAM, e o game rodou com apenas algumas quedas de fps, se mantendo em torno de 30 fps. Recomenda-se um hardware similar ou superior para que o jogo rode bem e no mínimo 2GB de memória RAM. Contudo, não há requerimentos mínimos oficiais para Sky até o momento, a App Store e Play Store informam somente que o game requer iOS 9.0 ou superior e Android 9.0 ou superior e 1GB de memória livre para a instalação. O consumo de bateria também é alto e é de se esperar que o smartphone aqueça durante gameplays prolongadas.

É ainda possível mudar configurações gráficas dentro do jogo para torná-lo um pouco mais leve. Porém, não vi muito diferença em performance entre o modo gráfico mais baixo e o mais alto, a taxa de frames não mudou quase nada. O que é sim perceptível entre esses modos é a qualidade gráfica mais baixa/mais alta e o consumo de bateria.

Conclusão:

Sky: Filhos da Luz é provavelmente um dos jogos mais bonitos e bem desenvolvidos disponível para plataformas mobile no momento. É surpreendente que um jogo assim exista para smartphones e certamente é um game que vai muito além de uma simples distração para quando se está em transporte público. Sky é um jogo para se jogar sozinho ou com amigos, mas independente disso você certamente vai fazer amizades inesperadas com pessoas que você sequer sabe de onde são. Quando menos esperar, você estará de mãos dadas com alguém voando por cenários belíssimos ou dançando e tocando instrumentos criativos no meio de um grupo de jogadores. A emoção também é garantida com as mais belas histórias que você irá ouvir de espíritos que cruzar seu caminho. Sky é um refúgio do cotidiano agitado, do ritmo acelerado e também das preocupações do mundo real.

Review Notebook ASUS Zenbook 14 UX435: Duas telas, bateria top e muito bonito

O Zenbook 14 versão UX435E, acabou de ser lançado e, sim, a ASUS já nos enviou. Testei ele pelas últimas semanas trabalhando diretamente, minha vontade de mostrar essa segunda tela era tanta, mas não podia. Olha só que animal, o touchpad vira uma tela secundária, totalmente personalizável e útil. Vem ver o que o Zenbook 14 de 2021 tem para te oferecer, o que ele traz de novidades e claro, se vale a pena pagar o preço.

Conteúdo relacionado

Motorola Moto G60 é bom em jogos? - Roda Liso
Roda Liso

Motorola Moto G60 é bom em jogos? - Roda Liso

Analisamos o novo MOTO G60 em onze diferentes jogos de Play Store, dentre eles, Free Fire, Fortnite, PUBG, Call of Duty Mobile, Genshin Impact e outros. Como é jogar com o Moto G60?

Review Resident Evil Village: Uma obra prima do horror
Games

Review Resident Evil Village: Uma obra prima do horror

Resident Evil Village 8 cumpre sua proposta e amplia a ousadia vista no título anterior. Entregando novos elementos para a franquia, o título é uma obra prima do horror. Confira nossa análise completa!

Xiaomi Poco X3 Review: Vale a pena comprar esse celular gamer?
Smartphones

Xiaomi Poco X3 Review: Vale a pena comprar esse celular gamer?

Analisamos o Poco X3 da Xiaomi, celular intermediário gamer. Vale a pena comprar esse smartphone para seu uso diário e principalmente jogar com ele? Confira aqui.

Samsung Book X45 review: Vale a pena comprar em 2021?
Notebooks

Samsung Book X45 review: Vale a pena comprar em 2021?

Analisamos o notebook Book X45 da Samsung, SSD NVMe, Placa de vídeo dedicada, Core I5, bom para trabalho e games leves. Vale a pena comprar?

Review Kaze and the Wild Masks: Jogo brasileiro é o segundo melhor do ano
Games

Review Kaze and the Wild Masks: Jogo brasileiro é o segundo melhor do ano

Kaze and the Wild Masks é uma obra de arte que homenageia os grandes clássicos. Com um coração próprio, esta é uma jornada memorável.

Review Paradise Lost - Uma jornada imersiva pós Segunda Guerra
Games

Review Paradise Lost - Uma jornada imersiva pós Segunda Guerra

Paradise Lost é uma jornada cativante que mostra uma realidade em que não houveram vencedores na Segunda Guerra Mundial. Porém, o título com certeza desagradará muitos jogadores. Confira nossa análise completa.