O termo Wireless, em tradução livre, sem fio, nada mais é que do que qualquer tipo de conexão para transmissão de informações sem o uso de fios ou cabos. Deste modo, qualquer comunicação que há sem a existência de um fio ou um cabo caracteriza-se por uma conexão wireless. Podemos citar diversos meios de utilização da wireless, como a conexão existente entre a TV e o controle remoto, entre o celular e as torres das operadoras e até o rádio da polícia com as centrais de operação, entre outros exemplo. Confira também como funcionam as topologias de redes.

As redes wireless funcionam através de equipamentos que usam radiofreqüência, como a comunicação via ondas de rádio, usadas por walkie-talkies, comunicação via satélite e comunicação via infravermelho, entre outros. Veja quais são os meios físicos de transmissão de dados.

Leia também O que é Li-Fi?;

O que é uma rede Wi-Fi?

O termo Wi-Fi é uma marca registrada pela Wi-Fi Alliance, porém, a expressão é um sinônimo para a tecnologia IEEE 802.11. Esse tipo de rede permite a conexão entre diversos dispositivos sem o uso fio. O termo "Wi-Fi", atualmente muito usado, não possui uma definição específica. A expressão Wi-Fi surgiu baseada na expressão High Fidelity (Hi-Fi), e está sendo usada desde a década de 50, ao ser lançado pelo indústria fonográfica. Portanto, o termo Wi-Fi é a contração das palavras Wireless Fidelity.

    Como o Wi-Fi funciona?

    As redes Wi-Fi tem seu funcionamento através de ondas de rádio. A transmissão se dá através de um adaptador, o nosso conhecido "roteador". O roteador tem a capacidade de receber os sinais, decodificar e após os emitir a partir de uma antena. Porém, para que o computador, notebook, tablet, enfim, qualquer dispositivo que possa ter acesso à internet, consiga capturar esses sinais é necessário que ele esteja dentro de um determinado raio, que é chamado de "hotspot". De acordo com o roteador e a antena, o raio de abrangência da internet é bastante variável. Em lugares abertos poderá variar até 300 metros, porém, nos fechados, poderá se estender até 300 metros.

    Leia também:

    O padrão de rede Wi-Fi é divido em várias partes, conheça algumas delas:

    IEEE 802.11a: Esse tipo de padrão é usado normalmente em empresas de grande tráfego de informações. A principal vantagem desse tipo de padrão é a alta velocidade, como também a ausência de interferências. Esse padrão Wi-Fi é para frequência 5 GHz com capacidade teórica de 54 Mbps. O único problema encontrado nesse tipo de padrão é o seu alcance, que não costuma ser muito grande.

    IEEE 802.11b: Esse padrão de rede é o mais usado no meio doméstico, isto é, em casas. Também é encontrado em pequenas empresas. A sua principal vantagem realmente é o seu alcance. Porém, como desvantagem, a sua velocidade, que costuma ser inferior se comparada às outras. O padrão Wi-Fi para frequência 2,4 GHz com capacidade teórica de 11 Mbps.

    IEEE 802.11g: Esse padrão poder ser comparado ao (b), porém, se comparado a velocidade, esse padrão costuma responder melhor. Igualmente ao padrão (b), é amplamente usado em residência e empresas de porte pequeno. Para tanto, como desvantagem, o alcance costuma ser menor ao padrão (b). O padrão Wi-Fi para frequência 2,4 GHz com capacidade teórica de 54 Mbps.

    IEEE 802.11n (Wi-fi 4): Atualmente chamado de Wi-fi 4 pela Wi-Fi Alliance (organização responsável pela certificação dos padrões Wi-fi), o padrão Wi-fi 802.11n já está ultrapassado. O Wi-fi 4 utiliza-se das frequências de 2,4Ghz e 5Ghz, sendo esta última opcional. A taxa de transferência liquida para o IEEE 802.11n varia entre 54Mbit/s e 600Mbit/s.

    IEEE 802.11ac (Wi-fi 5): Chamado hoje de Wi-fi 5 pela Wi-Fi Alliance, o padrão Wi-fi 802.11ac é a tecnologia mais utilizada atualmente. Dentre as principais mudanças feitas comparado ao padrão Wi-fi 802.11n, estão o aumento da amplitude de canais (80Mhz ou 160Mhz contra 40Mhz) na banda de 5GHz, maior numero de fluxos (até 8 antenas contra quatro) e a adição da tecnologia MIMO multiusuário (MU-MIMO), que permite uma alta taxa de transferência de dados mesmo em ambientes com grande número de dispositivos cliente.

    Novo padrão

    A tecnologia Wi-Fi vem sofrendo várias adaptações ao longo do tempo para se adequar a necessidade de consumo dos usuários de internet. Assim, para acompanhar as ofertas de ultra-velocidade das operadoras de internet, a indústria de roteadores sem fio desenvolveu um novo padrão chamado de 802.11ax.

    O Wi-fi 6 pode ser identificado pela sigla AX, que se referente ao novo padrão de transmissão de internet desenvolvido, e trabalha com a frequência de 6Ghz. Embora a nova tecnologia ainda não tenha chegado ao Brasil oficialmente, o Wi-fi 6 já possui uma atualização, o Wi-fi 6E, que deve estrear no início do ano que vem. Segundo a Qualcomm, a Anatel já está para finalizar a sua decisão para liberar a banda necessária para os dispositivos Wi-fi de 6Ghz possam operar, tornando o Brasil o país da América Latina que está mais próximo de tornar esta tecnologia de transmissão de internet sem fio uma realidade.

    Processo de aprovação do Wi-fi 6 na América Latina. Fonte: Qualcomm
    Processo de aprovação do Wi-fi 6 na América Latina. Fonte: Qualcomm

    Vantagens

    O Wi-fi 6 não traz somente uma capacidade de prover uma velocidade de internet maior, mas também proporciona uma latência menor, trazendo benefícios para atividades como realidade virtual (exemplo: PSVR) e realidade aumentada (utilização da câmera do smartphone para a inserção de um objeto virtual junto com a imagem do ambiente na tela). Além disto, devido ao fato de que os transmissores de sinal Wi-fi (roteador Wi-fi e Acess Points) com Wi-fi 6 possuírem a capacidade de trabalhar com 3 bandas (2,4Ghz, 5Ghz e 6Ghz), as redes mesh (saiba o que é e como funciona aqui) irão dar um salto de qualidade, pois será possível, por exemplo, utilizar a banda de 6Ghz para a comunicação entre os APs e a banda de 5Ghz para os dispositivos clientes (smartphones, notebooks, etc.).

    Veja o vídeo informativo publicado pela Cisco sobre o padrão 802.11ax: