10 produções brasileiras para assistir na Netflix

Veja nossas dicas de filmes, séries e documentários com DNA brasileiro, disponíveis na Netflix.

Comentários Débora Pricila Silveira   -

Procurando algo para assistir na Netflix? Que tal um filme ou uma série brasileira? E não adianta torcer o nariz sem ter assistido, ao menos, o trailer, viu? Isto porque tem muita coisa boa sendo produzida por aqui, basta você dar uma chance.

Na Netflix é possível encontrar diversas produções brasileiras de qualidade, com enredos surpreendentes que tratam tanto de temas banais na sociedade, como assuntos mais complexos. Abaixo, confira a lista que separamos com 10 produções, entre filmes, séries e documentários brasileiros. O número ao lado de cada título representa a nota do mesmo no IMDb, um dos maiores sites de produções televisivas do mundo.

Veja também:

O Silêncio do Céu – 7,2

Lançado em 2016, O Silêncio do Céu foi muito elogiado pela crítica. Este drama tem como foco o estupro de uma dona de casa que opta por esconder o acontecido do marido e sofre em silêncio. Por outro lado, o homem também tem algo a esconder e esta guerra silenciosa entre eles leva a um desfecho dramático.

Meu nome não é Johnny – 7,2

Este filme é baseado na história real de um jovem de classe média que se tornou um grande traficante de cocaína no Rio de Janeiro, no início dos anos 90. Selton Mello dá vida a João Estrella, protagonista da história.

Hoje Eu Quero Voltar Sozinho – 8,0

Escolhido pelo Ministério da Cultura para representar o Brasil no Óscar, categoria Melhor Filme Estrangeiro de 2015, Hoje Eu Quero Voltar Sozinho conquistou a crítica e os telespectadores com a história de Leonardo, um adolescente cego que enfrenta vários dilemas comuns da adolescência. Porém, com a chegada de Gabriel à cidade, novos sentimentos começam a surgir e Léo passa a conhecer melhor a si mesmo e a sua sexualidade.

Entre Nós – 7,1

Entre Nós representou o Brasil na oitava edição do Festival Internacional de Cinema de Roma, na Itália, e ganhou o prêmio de melhor roteiro no Festival do Rio. O filme se distancia da proposta comédia que permeia grande parte das produções brasileiras e traz uma pegada mais reflexiva. O drama é sobre um grupo de amigos que se reúne para passar o fim de semana em uma casa de campo. Lá, eles escrevem cartas para eles mesmos, que serão enterradas para serem lidas apenas no futuro. O fim de semana também é marcado por uma grande tragédia e 10 anos depois o grupo se reencontra para abrir suas cartas. Porém, eles terão que aprender a lidar com os fantasmas do passado.

3% - 7,7

Esta é a primeira série brasileira produzida em parceria com a Netflix. Embora o seriado tenha recebido duras críticas dos críticos brasileiros, nos Estados Unidos e Europa ela foi muito bem recebida pela crítica especializada, recebendo diversos elogios. O seriado se passa em um futuro distópico, no qual o mundo está dividido entre a devastação/miséria e o progresso/fartura. Ao completar 20 anos os jovens têm o direito de participar de um processo que os levará ao Mar Alto, local onde não existe injustiça nem pobreza. Contudo, apenas 3% dos candidatos serão selecionados.

Se você assistir a série com atenção, verá uma importante discussão a respeito da meritocracia e diversos problemas sociais enfrentados pelos brasileiros. Tudo isso com uma pegada futurística e tecnológica. Realmente vale a pena conferir os oito episódios disponíveis na plataforma.

Olga – 6,5

O filme retrata a história de vida de Olga, uma mulher forte que lutou contra a ditadura. Olga Benário era mulher do líder comunista Luis Carlos Prestes, foi deportada pela ditadura de Vargas para a Alemanha e morta em um campo de concentração. O longa rende momentos inspiradores e emocionantes e, de quebra, ainda nos faz entender um pouquinho mais sobre a nossa história.

A Busca – 6,8

Com Wagner Moura (indicado ao Globo de Ouro por sua atuação como Pablo Escobar) no papel de Theo, um pai que sai em busca do filho que fugiu de casa, A Busca trata sobre família e amadurecimento. Quando o filho foge de casa, pouco antes de completar 15 anos, Theo se vê obrigado a seguir os passos do jovem para tentar encontrá-lo e, nesta jornada, se depara com um novo rumo para sua vida.

Tropa de Elite – 8,1

Embora muita gente não goste, Tropa de Elite levou sim o nome do cinema nacional para fora do Brasil. Em 2008, o longa dirigido por José Padilha arrebatou o Urso de Ouro do Festival de Berlim e o prêmio de melhor filme no Festival Hola de Lisboa. A trama do capitão Nascimento retrata a luta diária da Polícia contra o crime nas favelas do Rio de Janeiro, sem falar nos desvios dos próprios policiais. O foco da narrativa está principalmente no BOPE, batalhão de elite da polícia.

Chatô – O Rei do Brasil – 6,2

Se você se interessa por história e comunicação, Chatô – O Rei do Brasil, é um filme que você não deve deixar de assistir. A trama é baseada na vida e obra de Assis Chateaubriand, o magnata das comunicações no Brasil. Chatô foi o fundador da rádio e posteriormente da TV Tupi. Fez fortuna e fama por meio de seus jornais, os Diários Associados e era conhecido por ser uma pessoa polêmica, com seu jeito extrovertido, mulherengo, cínico e debochado.

Cidade de Deus – 10 anos Depois – 6,5

O filme Cidade de Deus, de Fernando Meirelles, é um excelente produto audiovisual brasileiro, que recebeu quatro indicações ao Óscar e diversos outros prêmios pelo mundo. Porém, infelizmente ele não está disponível na Netflix. Mas, você pode acompanhar na plataforma o documentário Cidade de Deus – 10 anos depois, que resgata os 10 anos passados desde o lançamento do longa. 

Veja também:

 
COMENTÁRIOS

carregando...
Destaques
TOPO