Domínio ebola.com está à venda

Pior epidemia de ebola na África está acabando com famílias inteiras. Falta de cuidados básicos é fator principal para a disseminação da doença.

Por | @RafaelaPozzebon Internet

Milhares de pessoas estão sofrendo com a pior epidemia de ebola na África. Além disso, os países do mundo todo estão atentos aos novos casos e também aos meios para desacelerar esta triste condição. Porém, mesmo com todo o pavor e tristeza no mundo, a empresa detentora do domínio “ebola.com” colocou à venda o domínio por US$ 150 mil (cerca de R$ 360 mil), reportou a rede de TV CNBC.

De acordo com um levantamento da Organização Mundial de Saúde (OMS), somente nesta semana a epidemia de ebola já vitimou mais de 4 mil pessoas. Os casos de infecção, conforme Bruce Aylward, diretor-geral adjunto da OMS, nesta semana, deve chegar a 9 mil.

A página “ebola.com”, atualmente conta com algumas informações sobre a doença e também links de acesso a ONG Médicos sem Fronteira e também a outras páginas. “Nós tivermos muitas perguntas sobre esse domínio ao longo dos anos”, afirmou John Schultz, presidente da Blue String Ventures, empresa sediada em Nevada (EUA) proprietária do “Ebola.com”, por e-mail à CNBC.

A reportagem cita que é comum o registro de domínios com o nome de doenças por empresas farmacêuticas e também fabricantes de remédios. Um exemplo disso é a empresa Johnson & Johnson detém o “cancer.com” e o “obesity.com”; a GlaxoSmithKline é dona do “diabetes.com”; e a Pfizer tem o “arthitis.com”.

“’Ebola.com’ poderia ser um bom domínio para uma companhia farmacêutica trabalhando em uma vacina ou uma cura, uma companhia vendendo suprimentos para um desastre ou uma pandemia, ou uma companhia médica que queira fornecer serviço de informações ou de propaganda”, disse Schultz.

O empresário comprou o endereço “ebola.com” em 2008. De acordo com Schultz, a estratégia da empresa é comprar “domínios genéricos que nós acreditamos que podem ser desenvolvidos ou revendidos mais tarde com lucro”.

O endereço está à venda por US$ 150 mil, porém, Schultz ressalta que o valor “está sujeito a mudanças conforme a situação evolua”. “US$ 150 não é uma tremenda quantia por um domínio premium. O fato é que notícias top o tornam razoável, em nossa opinião, tanto quanto muitos domínios vendidos por sete dígitos. Apenas neste ano ‘whisky.com’ foi vendido por US$ 3,1 milhões e ‘mi.com’, vendido por US$ 3,6 milhões”, disse ao justificar o valor do domínio.

A empresa também já possui outros domínios à venda, como “birdflu.com”, “potassiumiodide.com” e “greencoffeeextract.com”.

Mais sobre: ebola, domínio, venda
Share Tweet
DESTAQUESMais compartilhados
Comentários
AINDA NÃO SE INSCREVEU?

Vem ver os vídeos legais que
estamos produzindo no Youtube.