Dicas Triggers e Procedures

Dicas sobre utilização de triggers e stored procedures. Stored Procedures não trazem desvantagens para uma aplicação com banco de Dados, pelo contrário só trazem melhoramentos na performance e desempenho na execução de uma aplicação.

Por | @irialuppi Programação

Procedures


Stored Procedures não trazem desvantagens para uma aplicação com banco de Dados, pelo contrário só trazem melhoramentos na performance e desempenho na execução de uma aplicação. Porém existem algumas limitações, sendo mencionado primeiramente o programador, é preciso que ele saiba passar corretamente informações para as procedures, por exemplo, quais serão os parâmetros de entrada quais as variáveis etc. Como segunda limitação está a linguagem usada para programação, pois, pode ser ineficiente para operações muito complexas, por exemplo, quando se usa mais de um banco de dados.Existem comandos da Linguagem SQL que podem e que não podem ser usados em Stored Procedures:

Os comandos da SQL DML como SELECT, INSERT, UPDATE E DELETE podem ser usados em todas as procedures desde que para eles, sejam usadas variáveis locais, também a palavra INTO quando se usa select, para serem ?guardados os valores de saídas (retorno)?. Os que não podem ser usados fazem parte da SQL DDL, por exemplo, CREATE, ALTER, DROP, SET, GRANT, REVOKE, COMMIT E ROLLBACK.

O comando SET TERM é utilizado em uma STORED PROCEDURE no FIREBIRD/INTERBASE, para indicar o fim do comando CREATE PROCEDURE. Isto para evitar problemas com o ?;?ponto e virgula, que é usado para identificar o fim de scripts SQL, sendo então que quando é iniciado o comando de criação de uma procedure, ao encontrar o primeiro ponto e virgula o comando seria encerrado isto é entendido como finalizado, portanto com o uso do SET TERM o banco entende que não é uma finalização. Portando para que funcione corretamente uma stored procedure para ser criada deve iniciar com um SET TERM e finalizar com uma segunda expressão SET TERM, sendo assim o banco entenderá quando é o inicio e o fim do comando CREATE.

Triggers


Uma trigger pode ser executada antes de atualizar um registro no banco, através do comando BEFORE UPDATE, após efetivar uma atualização para que ela seja garantida através do comando AFTER UPDATE. Antes de uma inclusão para testar valores, restringindo a inclusão se não são de acordo com as regras da empresa, pois as triggers são feitas baseadas nestas, para isso se usa o comando BEFORE INSERT e para garantir uma inclusão, por meio do comando AFTER INSERT. Também pode ser utilizada antes de uma exclusão, para que se possa confirmar a exclusão de um registro ou bloquear a mesma, através do comando BEFORE DELETE e depois de uma exclusão, com o comando AFTER DELETE, para garantir que o registro realmente foi excluído.

Os cinco pontos que podem ser chamados de benefícios são:

  1. Reduzir o tráfego na rede;
  2. Criar regras de negócios adaptadas a aplicação cliente,
  3. Criar rotinas comuns que podem ser utilizadas para toda a empresa, reduzindo o tempo de desenvolvimento e manutenção.
  4. Centralizar o processamento no servidor e reduzir os requisitos de hardware na estação cliente.
  5. Aumentar a performance das aplicações.

Enfim através das Stored procedures e das Triggers, todas as regras de negocio de uma empresa são realizadas, isto é centralizadas e executadas no servidor de banco de dados, por isso quando é realizado um evento ou uma ação na aplicação seja ela desktop ou web os comandos são enviados ao servidor de banco de dados, que vai interpretá-los, executa-los retornando apenas a resposta ao que foi solicitado, reduzindo assim a tráfego na rede, pois as informações já estarão ?resumidas?, ou seja, selecionadas de acordo com o solicitado pela aplicação.

Mais sobre: banco de dados trigger procedure
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo