Parte 1 - Engenharia de Software

Engenharia de Software é um assunto bastante abrangente e complexo, onde o mesmo possui inúmeras particularidades, que são abordadas no dia-a-dia de qualquer empresa que atua no desenvolvimento de Software.

Por | @oficinadanet Programação
Olá, pessoal. Sejam bem-vindos à nova coluna de Engenharia de Software!
É com grande satisfação que escrevo meu primeiro texto como colunista editor do Oficina da Net.

Fundamentos de Engenharia de Software – Parte 1
O quem vem a ser Engenharia de Software?
É a mesma coisa que Ciência da Computação?
Ou é uma área específica da Ciência da Computação?
Ou tem a ver com um software pronto ou em desenvolvimento?
Ou é uma junção de diferentes conceitos das áreas de Sistemas de Informação com Processamento de Dados?

Engenharia de Software é um assunto bastante abrangente e complexo, onde o mesmo possui inúmeras particularidades, que são abordadas no dia-a-dia de qualquer empresa que atua no desenvolvimento de Software.

Na maioria das instituições brasileiras de ensino superior, o conjunto de conhecimentos e técnicas conhecido como Engenharia de Software é ensinada em uma ou duas disciplinas dos cursos que têm os nomes de Ciência da Computação, Informática ou Sistemas de Informação. Raramente, em mais disciplinas, muitas vezes opcionais, e muitas vezes oferecidas apenas em nível de Pós-graduação e MBA. Algumas instituições oferecem cursos de Pós-graduação em Engenharia de Software, geralmente no nível de especialização.

A carreira na área de Engenharia de Software não é popularizada, mesmo em instituições ou empresas que desenvolvem sistemas como área fim ou não. Esta mesma situação de não popularidade acontece para certificação na área de Engenharia de Software. Ao contrário do acontece com a pouca popularidade das certificações em Engenharia de Software, as linguagens de programação e tecnologias que os profissionais da área de Engenharia de Software utilizam estão em alta no mercado, sendo bastante valoradas e algumas sendo obrigatórias pela área de clientes na contratação e execução de determinados projetos de softwares.

Vamos agora consultar o nosso grande ‘amigo’ dicionário, para vermos o que o mesmo nos diz sobre determinados termos que estão ligados diretamente à Engenharia de Software.

O Dicionário Aurélio Eletrônico V.2.0 assim define Ciência e Engenharia:
Ciência - Conjunto organizado de conhecimentos relativos a um determinado objeto, especialmente os obtidos mediante a observação, a experiência dos fatos e um método próprio.

Engenharia - Arte de aplicar conhecimentos científicos e empíricos e certas habilitações específicas à criação de estruturas, dispositivos e processos que se utilizam para converter recursos naturais em formas adequadas ao atendimento das necessidades humanas.

Pelas definições acima concluímos que a Ciência é a acumulação do conhecimento relacionado a um determinado assunto. E a Engenharia de Software sobre ao atendimento das necessidades humanas.

A tudo aquilo que satisfaz a necessidades, atribui-se um valor. A Engenharia está, portanto, ligada à noção de valor, e a Engenharia de Software busca gerar valor com o processamento de informação. A noção de valor tem muitas conseqüências práticas importantes, e, de fato, a teoria conhecida como “Engenharia de Software Baseada em Valor” representa uma importante escola de pensamento dentro da área.

A grande relação da Engenharia de Software e a noção de valor significam que a mesma considera o software como um produto.

Um sistema pode ser desenvolvido apenas por diversão por parte do desenvolvedor e não possuir ou até mesmo, não resolver algum problema da ‘vida real’, mas a partir do momento que o mesmo passa a resolver um problema da ‘vida real’, e passa a despertar algum valor, seja a quem for, o mesmo passará a ter um valor, surgirão demandas evolutivas do software para melhor sua qualidade, consistência e conseqüentemente será um produto que renderá lucros, pois possui um valor. De repente, aparecerá algum empresário milionário ou não, que deseja investir nesse software, despender investimento. Nesse exato momento o software que foi desenvolvido por mera ‘diversão’ acaba de entrar no escopo da Engenharia de Software e se tornou um produto agregado de valor.

Como todo produto possui seu ‘Ciclo de vida’, o software também o possui. É conhecido como uma resolução de um problema da vida real.
  • ele é concebido para tentar atender a uma necessidade;
  • é especificado, quando essas necessidades são traduzidas em requisitos viáveis;
  • é desenvolvido, transformando-se em um conjunto formado por código e outros itens, como modelos, documentos e dados;
  • passa por algum procedimento de aceitação e é entregue a um cliente;
  • Entra em operação, é usado, e sofre atividades de manutenção, quando necessário;
  • é retirado de operação ao final de sua vida útil.
  • O ciclo de vida compreende muitas atividades, que são assunto das diferentes áreas
  • Da Engenharia de Software, que serão abordadas em futuros artigos como este, na nossa coluna de Engenharia de Software.


Espero que tenham gostado, e que este início de estudo já lhe tenha agregado algum valor.
* Referência utilizada: Wilson de Pádua Paula Filho

Mais sobre: software, engenharia, computação
Share Tweet
DESTAQUESRecomendado
Mais compartilhados
Comentários